Ford Ranger e Ecosport AGOSTO1
Ford Ranger e Ecosport AGOSTO2
Geral

Investidor mira nos imóveis rondonenses

Giuliano de Luca/OP
Mercado em alta tem atraído a atenção de investidores rondonenses e de outras cidades

Negócio fechado. A expressão tem sido usada com frequência por corretores de imóveis de Marechal Cândido Rondon. O número de residências novas e de terrenos em loteamentos nos quatro cantos da cidade que estão sendo vendidos agradam o setor, que experimenta o bom momento pelo menos há três anos.

O mercado se divide entre famílias que conseguiram realizar o sonho da casa própria, mas também em investidores, que têm enxergado em Marechal Cândido Rondon uma oportunidade de fazer bons negócios.

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

Três das principais imobiliárias da cidade comemoram o ano, que ainda não acabou, mas que já é um dos melhores dos últimos tempos. Ricardo Theobald é corretor da Edemar Imóveis. Ele exemplifica um pouco do que é o mercado imobiliário atual na cidade. “Tudo o que está sendo construído, está sendo vendido”.

Um dos motivos para tamanha procura é a valorização que o imóvel dá ao investidor. “Temos imóveis que, em cinco anos, dobraram de valor. Não tem investimento que te dá tanto retorno”, conta. A opinião é a mesma do corretor Paulo Tiago Giehl, da Imobiliária Joris.

“Em 2011, começamos as vendas de lotes (em um loteamento novo) a R$ 35 mil. Fechamos as vendas a R$ 45 mil. Hoje, os lotes de terceiros estão sendo comercializados a R$ 60 mil”, descreve. É definitivamente um bom negócio. Adelar Ohse, corretor da Certo Imóveis, frisa que os investidores têm vários perfis, com destaque para pessoas de Marechal Cândido Rondon que estão em outras regiões do Brasil ou em outros países.

Um fator destacado como negativo pelos corretores foi a greve dos bancos, que engessou e estagnou o mercado imobiliário por cerca de três semanas. “Apesar da greve, foi um excelente ano”, comenta Ohse. Teobald emenda: “A greve atrapalhou, mas o mercado já está normalizado novamente”.

TOPO