Geral

Linha de transmissão entre Itaipu e Assunção é energizada

Billy Valtemir de Souza/ Itaipu Binacional
Energia produzida percorrerá 350 quilômetros desde a subestação de Itaipu até a de Villa Hayes

Começou hoje (06), por volta das 10 horas, a energização do Linhão de 500 kV, entre a usina de Itaipu e Assunção, no Paraguai. Esta será a última etapa antes da entrada em operação da linha de transmissão, o que deve acontecer dentro de 30 dias.

Nesse período serão realizados os ensaios de confiabilidade.  A expectativa é ‘que a obra, considerada uma das mais importantes para a transformação do perfil do Paraguai de essencialmente agrícola para um país industrializado, seja inaugurada no começo de novembro, com a presença de autoridades brasileiras e paraguaias.

Casa do Eletricista – RETOMA

O sistema de 500 kV, entre a subestação da margem direita de Itaipu, em Hernandárias, vizinha a Ciudad del Este, na fronteira com Foz do Iguaçu,  inclui 348 quilômetros de linhas de transmissão e 759 torres para levar a energia gerada na usina até Assunção, capital do Paraguai.

O linhão vai ampliar a capacidade do país vizinho de aproveitamento da energia produzida por Itaipu.  Com a entrada em operação da linha, a capacidade de recepção pelo Paraguai da energia produzida em Itaipu poderá ser ampliada em 1,2 mil megawatts (MW), o equivalente à demanda de energia, somada, dos Estados do Amazonas, Rondônia, Roraima e Tocantins.

O uso dessa energia se dará gradativamente. Dos 1,2 mil MW, o Paraguai deverá usar a partir de agora entre 250 e 300 MW.  Atualmente, a demanda do mercado paraguaio de energia elétrica, em horário de pico, gira em torno de 2,5 mil MW.

O país conta, desde 1970, com uma usina própria, Acaray, com 200 MW, mais metade dos 14 mil MW instalados em Itaipu, e outra metade da capacidade de Yacyretá, que é de 3,1 mil MW.

Apesar de contar com um grande parque gerador, o Paraguai utiliza muito pouco da energia a que tem direito. No caso de Itaipu, menos de 10%. Com o sistema de 500 kV, o país vizinho poderá dobrar esse aproveitamento.

Com este aumento da capacidade do sistema de transmissão de energia e com a modernização e reforços necessários nos sistemas de distribuição, o Paraguai terá todas as condições de resolver os gargalos atuais, como os apagões, que acontecem, sobretudo, no período do verão, quando o consumo aumenta pelo uso de aparelhos de ar condicionado.

A usina de Itaipu é, atualmente, a maior usina hidrelétrica do mundo em geração de energia. Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, forneceu 17,3% da energia consumida no Brasil, em 2012, e atendeu 72,5% do consumo paraguaio. O sistema de 500 kV é a obra mais importante do Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul (Focem).

A maior parte dos investimentos veio do Brasil. Foram investidos US$ 15,8 milhões na ampliação da subestação da margem direita, US$ 165 milhões nas linhas de transmissão e US$ 105 milhões para a construção da subestação de Villa Hayes, em Assunção. Incluindo projeto e apoio técnico, o Linhão teve um custo total de US$ 320 milhões.

TOPO