Copagril
Geral

Mais de mil agências estão fechadas no sexto dia de greve

Arquivo/OP
São 1.236 agências bancárias fechadas no Estado

A greve dos bancários, deflagrada em todo o país, completa seis dias nesta terça-feira (24), com a adesão de 1.236 agências bancárias no Paraná. De acordo com a Federação dos Bancários do Paraná (Feeb-PR), as cidades de Cianorte, Pato Branco e União da Vitória não têm agências fechadas. Em Marechal Cândido Rondon os bancários estão parados desde o início da paralisação.

Já a Federação dos Trabalhadores das Empresas de Crédito do Paraná (Fetec-PR), que representa mais dez sindicatos, não soube se alguma cidade isoladamente não aderiu à mobilização. A greve, deflagrada por tempo indeterminado, visa pressionar a Federação Brasileira dos Bancos (Fenaban) para conceder o reajuste salarial e melhorias nas condições de trabalho requeridos pelos funcionários.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

Entre as reivindicações da categoria estão reajuste salarial de 11,93% (5% de aumento real além da inflação), Participação nos Lucros e Resultado (PLR) de três salários mais R$ 5.553,15 e piso mínimo estabelecido pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) de R$ 2.860. Atualmente, conforme a Feeb-PR, o salário inicial dos bancários gira em torno de R$ 1.519. Os trabalhadores também exigem o fim de metas abusivas.

A proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) é de reajuste de 6,1% (inflação do período pelo INPC) sobre salários, pisos e todas as verbas salariais (auxílio-refeição, cesta-alimentação, auxílio-creche/babá etc). A proposta e de PLR de 90% do salário mais valor fixo de R$ 1.633,94, limitado a R$ 8.927,61 (o que significa reajuste de 6,1% sobre os valores da PLR do ano passado), além de parcela adicional da PLR de 2% do lucro líquido dividido linearmente a todos os bancários, limitado a R$ 3.267,88.

Conforme o último balanço do Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Metropolitana, 334 agências estavam fechadas, sendo que 253 na capital paranaense. Há ainda 13 centros administrativos fechados. Nesta terça-feira, está marcada para as 19h, em frente ao Palácio da Avenida, no Centro de Curitiba, uma ação do sindicato para reforçar as razões da greve. Segundo o sindicato, até esta terça-feira não houve sinalização, por parte da Febraban, para que que as negociações fossem retomadas.

O Procon-PR alerta que a mobilização dos bancários não pode acarretar em prejuízo para os clientes. A coordenadora Cláudia Silviano afirma que quem se sentir lesado deve procurar o Procon.  É importante destacar, contudo, que em diversos casos, existem alternativas para determinadas transações bancárias como pagamentos, que podem ser efetuados pela internet, lotéricas, farmácias, mercados e outros.

TOPO