Ecoville – Maior rede de limpeza
Paraná

Escritório de Jaime Lerner é alvo de operação da Polícia Federal

Divulgação

O escritório de Jaime Lerner, ex-governador do Paraná e ex-prefeito de Curitiba, foi um dos alvos de uma operação desencadeada pela Polícia Federal de Tocantins nesta quinta-feira (10). Os policiais cumpriram mandado de busca a apreeensão.

Casa do eletricista PRESSURIZADORES

A operação foi batizada de Nosostros e investiga suposta fraude na licitação para a construção do BRT de Palmas.

De acordo com a Polícia Federal, foi identificado repasse de informações privilegiadas da prefeitura a empresas que participaram da licitação. O custo da obra foi de aproximadamente R$ 260 milhões.

Por meio de nota, o Instituto Jaime Lerner declarou que o único projeto de Jaime Lerner Arquitetos Associados realizado em Palmas foi para o setor privado.

“Tratou-se de um plano de ocupação futura para a área de expansão urbana, na região sudoeste da cidade, contratado por três empresas do setor privado. Este plano de ocupação não tem nenhuma relação com o futuro BRT”, afirma a nota.

Ainda segundo o Instituto, a documentação relativa a este plano de ocupação foi entregue à Polícia Federal.

A operação

A operação tem 22 mandados, sendo 10 de condução coercitiva – quando a pessoa é levada para prestar depoimento – e 12 de buscas e apreensão nos estados de Tocantins, Paraná e Santa Catarina.

Entre as pessoas conduzidas para depor estão o secretário municipal de finanças e o procurador geral do município, além de donos de imobiliárias e donos de terras. Diversos servidores públicos também serão intimados a prestarem esclarecimentos, informou a Polícia Federal.

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), também seria encaminhado para depor, porém, ele está no exterior. Nas redes sociais, Amastha disse que foi informado da operação.

“Bom dia Palmas. PF está nos meus endereços fazendo busca e apreensão. Resta colaborar. Estou rumo ao Smart Cities em Barcelona. Esperando”.

O prefeito disse ainda que os policiais “não vão encontrar um erro proposital nas licitações da prefeitura”.

Ainda conforme a investigação, imobiliárias da região e agentes públicos pressionavam proprietários de terrenos para que cedessem parte da área para pessoas ligadas ao esquema criminoso. Para isso, segundo a polícia, uma das forma de coação utilizadas pelos suspeitos era a cobrança de altos valores de IPTU desses proprietários.

Nota do Instituto Jaime Lerner

A respeito ao mandado de busca e apreensão realizado nesta manhã pela Polícia Federal no Instituto Jaime Lerner, temos a informar:

1- Tanto o Instituto Jaime Lerner como a Jaime Lerner Arquitetos Associados não tiveram e não têm nenhuma relação com os projetos e com a implantação do BRT da cidade de Palmas,Tocantins, processos estes conduzidos sob estrita responsabilidade da Prefeitura Municipal de Palmas;

2- O único trabalho pela Jaime Lerner Arquitetos Associados realizado naquela cidade foi para o setor privado. Tratou-se de um plano de ocupação futura para a área de expansão urbana, na região sudoeste da cidade, contratado por três empresas do setor privado;

3- Este plano de ocupação não tem nenhuma relação com o futuro BRT; a área localiza-se a mais de 1.500m de distância do eixo principal do BRT;

4- Toda a documentação necessária relativa ao plano de ocupação foi prontamente fornecida aos agentes que realizaram o mandado de busca e apreensão na manhã de hoje, para que se comprovem os fatos acima citados.

TOPO