Copagril
Policial

Mãe de Tayná pede liberdade aos acusados de tortura

Duas manifestações aconteceram ontem (25) pedindo a liberdade dos guardas e policiais presos por suspeita de tortura contra os quatro acusados do Caso Tayná. Entre os manifestantes em frente à Delegacia do Alto Maracanã, em Colombo, familiares dos acusados e a mãe da menina Tayná Adriane da Silva, Cleuza da Silva, que diz ter certeza de que os quatro suspeitos são os autores do crime.

Cleuza afirma que, desde o momento e que viu “a cara” dos suspeitos, tem a certeza de que eles assassinaram Tayná. “Hoje eles viraram celebridades, enquanto os policiais viraram bandidos. Minha filha foi morta e jogada num poço. Cadê os direitos humanos nesse caso?”, questionou.

Casa do eletricista TRATAM. E ACESS.

Simone Pereira, esposa do delegado Silvan Rodney Pereira, também participou da manifestação na delegacia. Segundo ela, o marido sempre foi uma boa pessoa e tem muito orgulho de ser policial. “Eu tenho filhos pequenos que não conseguem mais dormir a noite por causa de tudo isso”, contou.

Além do ato em frente à Delegacia do Alto Maracanã, outro aconteceu em frente ao Fórum Cível de Colombo.

TOPO