2º Agita Rondon – 2019
Policial

Paraguaios estão produzindo maconha até na água

Plantações de maconha são feitas em pequenas áreas desmatadas (Foto: capitanbado)

O Paraguai est aacute; produzindo quatro tipos de maconha. A informa ccedil; atilde;o foi obtida ontem (17) pela reportagem do Jornal O Presente com o site paraguaio capitanbado.com, de Capitan Bado. De acordo com a fonte, al eacute;m da maconha tradicional, no Paraguai est aacute; sendo produzida a maconha mentolada, a hidrop ocirc;nica e a haxichada. A primeira eacute; bastante conhecida no territ oacute;rio brasileiro, j aacute; a mentolada, tamb eacute;m identificada como transg ecirc;nica, come ccedil;ou a ser produzida h aacute; cerca de oito anos. A produ ccedil; atilde;o da hidrop ocirc;nica, segundo o site, come ccedil;ou faz em torno de dois anos. J aacute; a produ ccedil; atilde;o da haxichada eacute; recente. As quatro t ecirc;m praticamente o mesmo tempo para produ ccedil; atilde;o, aproximadamente 90 dias. A semente s oacute; muda no caso da transg ecirc;nica. Os pre ccedil;os, no entanto, variam bastante.
As maconhas hidrop ocirc;nica e a haxichada custam em torno de quatro vezes mais que a tradicional, vendida por cerca de R$ 50 o quilo no Paraguai. A aacute;rea de produ ccedil; atilde;o das maiores novidades, a hidrop ocirc;nica e a haxichada, concentrada no Departamento (Estado) de Amabay, no Paraguai, eacute; em torno de 1/6 da tradicional e da mentolada.

Sobreviv ecirc;ncia
As experi ecirc;ncias com a droga s atilde;o uma forma de ldquo;sobreviv ecirc;ncia rdquo; dos produtores de maconha no mercado do tr aacute;fico, em fun ccedil; atilde;o do avan ccedil;o do crack, entorpecente com alto poder alucin oacute;geno e de depend ecirc;ncia. Autoridades brasileiras chegam a afirmar que o consumo por duas vezes do crack pode tornar o usu aacute;rio dependente. Devido a isso, os produtores paraguaios criaram maconhas mais fortes. A tradicional, j aacute; afirmam alguns traficantes paraguaios, ldquo;se tornou coisa de pobre rdquo;, ao contr aacute;rio das outras, que s atilde;o ldquo;chique rdquo;. nbsp;

Casa do Eletricista PISCINAS

Capital da Maconha
Droga mais forte e com maior pre ccedil;o. Essas caracter iacute;sticas apontam para uma diminui ccedil; atilde;o da aacute;rea de produ ccedil; atilde;o de maconha no Paraguai. Em Capitan Bado, cidade que j aacute; foi conhecida como a Capital da Maconha, a aacute;rea de produ ccedil; atilde;o diminuiu em cerca de 80%, mas n atilde;o somente por essa tend ecirc;ncia, informou o site, e sim pela falta de mata para cultivar a droga e pelo avan ccedil;o da bovinocultura e produ ccedil; atilde;o de gr atilde;os. Agora, Capitan Bado eacute; conhecido como ldquo;Pulmon Econ ocirc;mico del Amambay rdquo;, pois produz em torno de 180 mil toneladas de gr atilde;os e 320 mil cabe ccedil;as de gado por ano. nbsp;
O Departamento de Canindeyu agora ganhou o t iacute;tulo de maior produtor de maconha.

Importa ccedil; atilde;o
O Brasil era um dos maiores importadores de maconha do Paraguai, no entanto, h aacute; cerca de dois anos, devido ao aumento de fiscaliza ccedil; atilde;o na fronteira, a Argentina e o Chile, para onde a droga poderia ir com menos barreiras, ldquo;morderam rdquo; boa parte dessa importa ccedil; atilde;o. Al eacute;m disso, na Argentina e Chile os traficantes conseguem melhor pre ccedil;o pelo entorpecente. Nestes pa iacute;ses, o quilo da droga tradicional pode chegar a US$ 1 mil o quilo.

Mentolada
A maconha mentolada tem em sua ess ecirc;ncia o sabor de menta. O produto foi conseguido com modifica ccedil; atilde;o gen eacute;tica. A ideia da modifica ccedil; atilde;o teria sido trazida de um holand ecirc;s para a Argentina. Logo, come ccedil;ou a ser produzida no Paraguai. O quilo da droga no Paraguai custa de R$ 80 a R$ 100.

Hidrop ocirc;nica
A hidrop ocirc;nica eacute; a t eacute;cnica de cultivar plantas sem solo, onde as ra iacute;zes recebem uma solu ccedil; atilde;o nutritiva balanceada que cont eacute;m aacute;gua e todos os nutrientes essenciais ao desenvolvimento da planta. Por enquanto, eacute; este o nome (hidrop ocirc;nica) que leva a maconha produzida na aacute;gua no Paraguai. A droga eacute; quatro vezes mais forte que a tradicional. A ldquo;pot ecirc;ncia rdquo; eacute; correspondente ao pre ccedil;o. No Paraguai o quilo da droga custa de R$ 200 a R$ 300. O pre ccedil;o tamb eacute;m corresponde agrave; dificuldade de aacute;rea para o cultivo da droga.

Haxichada
O haxixe eacute; extra iacute;do dos galhos, tronco da pr oacute;pria maconha. No Paraguai, o produto eacute; adicionado na maconha tradicional, tornando a droga mais alucin oacute;gena. nbsp; Em m eacute;dia, 30% de haxixe eacute; adicionado na maconha tradicional. A droga custa em torno de R$ 200 no Paraguai. O produto teria como base de produ ccedil; atilde;o o Departamento de Amabay.

TOPO