Política

Aporte de R$ 60 milhões pode manter duplicação do trecho Rondon/Toledo

 

Maria Cristina Kunzler/O Presente

 

O encontro entre autoridades políticas e lideranças dos municípios de Marechal Cândido Rondon, Quatro Pontes e Toledo com o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Lessa, está sendo considerado como proveitoso.

Os representantes das três cidades se reuniram com o ministro na noite de terça-feira (14), em Brasília, e tiveram sinalização positiva no sentido de que a obra de duplicação do trecho de 38,9 quilômetros entre Marechal Rondon e Toledo não será paralisada. Isso porque o ministro e os deputados devem garantir R$ 60 milhões para a continuidade dos trabalhos.

Casa do Eletricista – RETOMA

Na semana passada, o superintendente no Paraná do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), órgão ligado ao Ministério, José da Silva Tiago, participou de um encontro na Associação Comercial de Cascavel (Acic) e alertou que se não fosse possível viabilizar mais recursos para a continuidade do projeto poderia haver a paralisação em quatro meses.

Tiago lembrou que o governo licitou a duplicação dos 38,9 quilômetros entre Marechal Rondon e Toledo e 74 quilômetros entre Cascavel e Marmelândia, no interior de Realeza. Juntos, os trechos somam 112,9 quilômetros com custo de R$ 885,5 milhões. Somente para o trecho entre as cidades rondonense e toledana são R$ 306 milhões.

Conforme ele, no ano passado a bancada federal do Paraná garantiu repasse de R$ 150 milhões às obras, mas para 2017, em vez de priorizar a duplicação, os parlamentares teriam destinado os recursos para a compra de implementos agrícolas repassados a prefeituras.

Divulgação

 

TOPO