Política

Após 100 dias de mandato, vereadores assumem em Pato Bragado

 

Mirely Weirich/OP

Presidente da Câmara de Vereadores, Flavio Prigol, ressalta que os novos edis são nomes conhecidos e garante que a harmonia continuará no Legislativo bragadense

Após 100 dias de andamento do mandato dos poderes Legislativo e Executivo em Pato Bragado, a Câmara de Vereadores do município passou, depois da recontagem de votos pela Justiça Eleitoral de Marechal Cândido Rondon no fim do mês passado, pela terceira configuração do grupo de vereadores para os próximos quatro anos.

Ainda durante a campanha eleitoral, os candidatos Holdi Romer (PMDB), Mauro Weigmer (Tatu Motorista) (PP), Sergio Gossenheimer (PP), Gilberto Maehler (PMDB) e Marli Wollmann (PMDB) – todos do grupo liderado pelo então candidato (hoje prefeito) Leomar Rohden (Mano) (PMDB) – foram denunciados por prestigiarem a inauguração do Colégio Estadual de Pato Bragado durante período eleitoral e tiveram o registro cassado em primeira instância.

Após análise da denúncia oferecida pelo grupo de oposição por parte da juíza da 121ª Zona Eleitoral, Berenice Ferreira Silveira Nassar, ela julgou procedente a alegação da coligação impetrante, interpretando o fato como conduta vedada.

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

Há poucas semanas, no entanto, os candidatos conseguiram reverter a decisão no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) e, com os votos validados, assumiram os trabalhos no Poder Legislativo.

 

Terceira composição

Atualmente, a Câmara de Vereadores de Pato Bragado está em sua terceira composição, levando em consideração o andamento do processo no TRE e também dos vereadores eleitos que se licenciaram para ocupar secretarias, como é o caso de Ademir Kochenborger (Xaropinho), que comanda a Secretaria de Esportes e Lazer.

Hoje, as cadeiras estão ocupadas pelos seguintes edis: Flavio Prigol (DEM), Airton Schmitt (PDT), Lucas Blatt (SD), Jair Saueressig de Sousa (Jair Inseminador) (PMDB), Adilson Manhabosco (Balaio) (PMDB), Holdi Romer (PMDB), Mauro André Weigmer (Tatu Motorista) (PP), Arlete Schneider (PMDB), que substitui Sergio Gossenheimer (PP), licenciado para ocupar a Secretaria de Agricultura, e Gilberto Maehler (PMDB), que substitui Marli Wollmann (PMDB), licenciada para ocupar a Secretaria de Ação Social.

 

Expectativas

Holdi Romer entra em seu quarto mandato no Legislativo bragadense, do qual ficou afastado por 12 anos após atuar pelo mesmo período como vereador. Decidi me candidatar novamente porque vi que ainda fazia parte da Câmara de Vereadores. Espero novamente ser um vereador que respeita todas as prerrogativas do Poder Legislativo, mas, além disso, ter o olhar voltado para o empreendedorismo, pois o nosso grande problema hoje é a falta de empreendedores. O Brasil prepara as pessoas para serem empregados, e não empregadores, ressalta.

Já Arlete Schneider ocupará o cargo pelo primeiro mandato e garante que fará jus a seus votos. Aqueles que confiaram e votaram em mim não se arrependerão, pois farei o possível para ajudar a eles e a todos os munícipes. Na Câmara devemos pensar no bem do município, em trazer coisas boas para Pato Bragado, para as pessoas que aqui residem. Não podemos entrar em conflito ou rivalidade, mas, sim, avaliar sempre o bem do nosso munícipe, declara.

 

Situação em maior número

Desta forma, o grupo de situação, que até então era minoria no Legislativo bragadense, passa a ocupar o maior número de cadeiras. Nós começamos o ano com os vereadores em um processo bastante harmônico. Todos os projetos e discussões sempre foram pautados nos interesses da comunidade e em nenhum momento os vereadores pensaram em autopromoção ou algo pessoal, mas, sim, no verdadeiro compromisso do vereador: em trabalhar para a comunidade, destaca o presidente da Casa de Leis, Flavio Prigol.

Apesar de os novos vereadores que passaram a ocupar cadeiras na Câmara iniciarem a atuação 100 dias após os demais, Prigol enfatiza que os edis são nomes conhecidos e garante que a harmonia continuará sendo que o foco do Legislativo será pautado na premissa de trabalhar pela comunidade, pensando no bem dos munícipes. Tivemos poucas conversas com o prefeito, acredito que por conta de agendas e pela festa do município, mas nós sempre estamos dispostos e abertos à comunicação, porque essa falta de comunicação foi notada independente de sermos situação ou oposição, ela aconteceu com todos os vereadores por conta das agendas, ressalta, garantindo que os trabalhos

TOPO