Política Curioso

Após eleição de Bolsonaro, PSL rondonense é extinto; medida surpreendeu até mesmo dirigentes da legenda

 

Em alta por conta da eleição do presidente Jair Bolsonaro, o PSL decolou não apenas no país, como em muitos Estados. Deixou de ser um partido considerado nanico e desconhecido para ganhar projeção, embora ainda não tenha a força política semelhante a siglas tradicionais, como MDB, PT e DEM, por exemplo.

Em Marechal Cândido Rondon, com a ascensão partidária nacionalmente e, inclusive, no Paraná, onde fez uma bancada de oito parlamentares à Assembleia Legislativa, a expectativa era que o PSL pegaria carona no bom momento político de Bolsonaro e crescesse localmente.

Mas, curiosamente, após a eleição o partido foi extinto, causando surpresa até mesmo nos então dirigentes da agremiação rondonense. Havia comentários de que um novo grupo local poderia ter articulado com lideranças estaduais a dissolução da comissão provisória para assumir o comando do PSL, mas até o momento não houve nada de oficial.

 

Criação

Da Comarca de Marechal Cândido Rondon, somente um município possui registrado em atividade o PSL, sendo que a criação da nova comissão provisória se deu no último dia 08 de novembro, poucos dias após o segundo turno da eleição presidencial, conforme informações do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Trata-se do município de Mercedes, cujo presidente da sigla é Odair José Serafini.

 

O Presente

 

TOPO