Copagril
Política

Gleisi pede greve de sexo e suspensão de votação no Senado no Dia da Mulher

Divulgação

Senadoras de oposição querem que o Congresso Nacional suspenda as votações nesta quarta-feira (8), Dia da Mulher, em apoio ao movimento internacional de greve geral das mulheres. A iniciativa foi encabeçada por feministas dos Estados Unidos como um alerta à violência masculina e pela defesa da igualdade de gênero; e encontrou apoio em diversos países ao redor do mundo.

Casa do Eletricista PISCINAS

A proposta, entretanto, não encontra apoio entre outros membros da Casa, majoritariamente homens. Atualmente, há apenas 13 senadoras, numa Casa com 81 parlamentares. Quando questionados sobre a necessidade de paralisar as votações no Dia Internacional das Mulher, alguns senadores homens disseram acreditar não ser necessário.

Senadoras de oposição querem que o Congresso Nacional suspenda as votações nesta quarta-feira (8), Dia da Mulher, em apoio ao movimento internacional de greve geral das mulheres. A iniciativa foi encabeçada por feministas dos Estados Unidos como um alerta à violência masculina e pela defesa da igualdade de gênero; e encontrou apoio em diversos países ao redor do mundo.

A proposta, entretanto, não encontra apoio entre outros membros da Casa, majoritariamente homens. Atualmente, há apenas 13 senadoras, numa Casa com 81 parlamentares. Quando questionados sobre a necessidade de paralisar as votações no Dia Internacional das Mulher, alguns senadores homens disseram acreditar não ser necessário.

Preocupações

Uma das preocupações das parlamentares, por exemplo, é com o projeto de lei que trata da punição penal para o crime de estupro e está atualmente em tramitação na Câmara dos Deputados. Na última semana, o relator do projeto, deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), propôs a redução de para estupro de vulnerável quando o ato não envolver penetração sexual.

TOPO