Ecoville – Maior rede de limpeza
Política

“Já tivemos várias conquistas nestes quatro meses de mandato”, enaltece Maneco

 

Divulgação
Prefeito de Missal, Hilario Jacó Willers (Maneco): “Estamos trabalhando com muita cautela e analisando caso por caso. As nomeações estão ocorrendo em um ritmo devagar, mas porque estamos com os pés no chão”

 

Hilario Jacó Willers (Maneco) (PP) foi secretário municipal e vice-prefeito de Missal nos dois mandatos do ex-prefeito Adilto Ferrari (DEM) (2009/2012 e 2013/2016). Eleito prefeito na eleição de 2016, assumiu um novo desafio em 1º de janeiro e o compromisso de passar a comandar o Poder Executivo que tanto conhece, dando continuidade ao trabalho que recebeu aprovação da população, mas com visão em implantar algo novo em prol dos missalenses.

Em entrevista concedida ao Jornal O Presente, Maneco fez uma avaliação dos primeiros quatro meses de governo, enalteceu a autorização que recebeu nesta semana do Governo do Estado para um financiamento de R$ 1,5 milhão, falou sobre as conquistas já obtidas no início do mandato e projetos que são considerados importantes, dentre outros assuntos. Confira.

Casa do eletricista PRESSURIZADORES

O Presente (OP): O senhor completou quatro meses de mandato. Tem sido um desafio diferente ser prefeito após oito anos como vice-prefeito?

Hilario Jacó Willers (HJW): Tem, com certeza. A responsabilidade aumenta. Hoje estamos como gestor no município de Missal e estamos muito satisfeitos. Os trabalhos estão andando bem, a administração está bem e já tivemos várias conquistas nestes quatro meses de mandato. Sem dúvida com as parcerias que temos entre o Poder Executivo, a Câmara de Vereadores e a população iremos ter conquistas e serão muitas.

 

OP: Resumidamente, é possível pontuar as principais conquistas neste início de gestão?

HJW: Em janeiro recebemos uma ambulância do Samu via Ministério da Saúde, por meio do ministro Ricardo Barros. Por meio de uma emenda do deputado federal Dilceu Sperafico recebemos uma patrulha rural para o distrito de Dom Armando. Foram duas conquistas que consideramos importantíssimas. Por parte da deputada Claudia Pereira a Polícia Militar foi contemplada com uma viatura. Ao lado do ginásio de esportes está sendo feita terraplanagem para implantarmos uma arena esportiva e vamos instalar um campo de areia. Estamos com vários trechos em andamento de pedras irregulares no interior do município. Foi feito recape asfáltico em diversas ruas da sede e passeio público em paver. Estamos recuperando as estradas do interior, cujo trabalho vem sendo realizado desde 02 de janeiro. Promovemos a Deutches Fest em abril, que foi uma excelente festa e um sucesso. As coisas estão acontecendo normalmente, atendendo na área da saúde, assistência social, agricultura. A educação é prioridade e firmamos um compromisso com os 250 universitários que estão estudando fora do município de colocarmos à disposição o transporte próprio e pago pela prefeitura. Nos próximos meses começam a rodar cinco ônibus, sendo quatro adquiridos pelo Poder Executivo e outro que era utilizado na saúde. No primeiro semestre poderemos atender 195 universitários com transporte próprio pago pelo município. Há duas emendas para aquisição de dois micro-ônibus, que fica para o segundo semestre. Desta forma conseguiremos atender 100% dos universitários.

 

OP: Passados os primeiros meses de gestão, o governo já estabeleceu algum projeto em específico que pretende dar uma atenção especial ou que visa implantar em Missal?

HJW: Estive no Palácio Iguaçu (em Curitiba), na terça-feira (09), com o governador Beto Richa para receber autorização de um financiamento que pleiteamos de R$ 1,5 milhão. Realizaremos uma audiência pública nos próximos dias e provavelmente algum benefício será em torno de equipamentos. A nossa intenção é propor para a população a construção de um barracão para abrigarmos 12 pequenos comércios e indústrias que necessitam de um local para funcionar. Temos compromissos de alguns deputados por meio de emendas que com certeza devem ser liberadas até o fim do ano. Estamos implantando galerias de águas pluviais, pois preservamos muito a qualidade de vida da nossa população em todas as áreas.

 

OP: A perspectiva é que o financiamento seja liberado até quando?

HJW: Tenho esperança muito grande que isso aconteça ainda durante o ano de 2017.

 

OP: A situação financeira do município está tranquila para a busca destes financiamentos? O governo pretende pleitear mais recursos assim?

HJW: A capacidade de endividamento do município é maior do que este valor, mas por enquanto vamos financiar R$ 1,5 milhão, que com certeza beneficiará o município na compra dos equipamentos que mais precisamos. Para o próximo ano faremos um planejamento maior e, de repente, pleiteamos outro financiamento. Estamos atentos, tanto na área do Estado como federal, assim como a Itaipu está com a nova diretoria e já recebemos a visita da esposa do novo diretor-geral (Luiz Fernando Vianna) aqui em Missal. A esperança é que o município possa ter benefícios por parte da Itaipu também.

 

OP: O senhor está satisfeito com o relacionamento e a liberação de recursos tanto por parte do Governo do Estado como em relação ao governo federal?

HJW: Sim, estou satisfeito. No Estado contamos com vários deputados que estão nos ajudando, assim como no governo federal. Missal possui diversos parceiros. Com certeza virão benefícios apesar da crise, mas estou muito otimista e sempre digo que nosso município é muito viável. Quero deixar bem claro que recebemos a prefeitura em boas condições do prefeito Adilto Ferrari.

 

OP: O senhor iniciou o governo com a nomeação apenas da secretária de Educação, Cultura e Esportes, Clarice Friedrich. Hoje a equipe de governo está completa?

HJW: Nomeamos em abril secretários e alguns diretores de departamento. Estamos trabalhando com muita cautela e analisando caso por caso. As nomeações estão ocorrendo em um ritmo devagar, mas porque estamos com os pés no chão. Queremos que as coisas aconteçam bem, como estão acontecendo. Não é porque a equipe não está completa que a população terá prejuízos. Pelo contrário. A população está bem atendida em todas as áreas. Estou muito satisfeito com o que está acontecendo no município.

 

OP: Normalmente os partidos desejam fazer indicações para os cargos. Essa demora em fazer as nomeações tem gerado algum conflito no grupo político?

HJW: Fizemos algumas reuniões com os partidos, que entenderam essa mensagem e estão nos apoiando. Os partidos nos deram toda liberdade para escolhermos a nossa equipe, sem pressão alguma. Fiquei muito satisfeito e feliz com isso. Juntamente com o vice-prefeito (Eduardo Staudt) tivemos a tranquilidade de escolher nossos secretários e alguns diretores, que foram colocados no lugar certo. Sempre quando nomearmos alguém será com muita transparência e com muito planejamento.

 

OP: De momento o senhor trabalhará com a equipe que foi composta ou já pensa em novas nomeações?

HJW: De momento não (fazer novas nomeações). Vamos esperar mais um pouco, mas mais para frente não vou dizer que não posso nomear mais algumas pessoas para nos ajudar a administrar o município de Missal.

 

OP: Pela experiência do ex-prefeito Adilto Ferrari existe alguma possibilidade dele vir a compor o governo em algum momento ou nunca houve uma conversa neste sentido?

HJW: Ele está contribuindo. Muitas vezes eu converso com ele, trocamos ideias e está ajudando o município, ajudando na forma como for possível.

 

OP: O seu grupo político possui maioria na Câmara de Vereadores. O senhor tem sentido tranquilidade em governar diante desta condição?

HJW: O relacionamento do Poder Executivo com a Câmara de Vereadores é muito bom. Todos os projetos que enviamos foram aprovados. Não existe problema com nenhum vereador. São dois poderes independentes, mas que se respeitam muito. Nunca tivemos problema com a Câmara. Só tenho a agradecer os vereadores que estão nos ajudando com indicações e votando os projetos.

 

OP: Já houve ou há alguma conversa para algum vereador ou partido que hoje está na oposição vir a compor com a situação?

HJW: Não, neste momento isso não foi feito. Estamos administrando o município e os trabalhos foram muito corridos de janeiro até agora. Sobre política não houve conversas.

 

OP: O senhor é uma das principais lideranças do PP em Missal, cujo partido é um dos que está no centro das atenções dentro do âmbito da Lava Jato. Na sua opinião, a sigla pode ter alguma dificuldade na eleição do ano que vem em razão da força-tarefa?

HJW: Sempre olhamos a pessoa. Dentro de todos os partidos políticos há problemas e pessoas envolvidas em alguma situação. Não é diferente do nosso (PP). O nosso partido conta com pessoas boas, lideranças que trabalham pelos municípios e pela população e que são honestas. Tenho certeza que o Brasil passará a ser uma nova era. Haverá uma divisão de águas daqui para frente e as coisas deverão mudar no país. Estamos torcendo para isso. O país é viável, produz muito e tenho certeza que se as coisas forem feitas com seriedade podemos sempre mais.

 

OP: Então o senhor não avalia a possibilidade de sair do PP?

HJW: Não, em hipótese alguma.

TOPO