Copagril
Política

Juíza eleitoral determina nova contagem de votos em Pato Bragado

 

Divulgação
Vereador Flávio Prigol, presidente da Câmara

 

A juíza eleitoral da Comarca de Marechal Cândido Rondon, Berenice Ferreira Silveira Nassar, determinou ontem (23) a realização de nova totalização (contagem) de votos no município de Pato Bragado, cidade na qual candidatos a vereador do grupo de sustentação ao prefeito Leomar Rohden (Mano)(PMDB) tiveram os seus registros cassados. A nova totalização dos votos está marcada para as 13h30 de terça-feira (28), para a qual estão convocados partidos políticos, Ministério Público e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Caso resulte na alteração dos eleitos e suplentes, a juíza eleitoral determina a expedição de novos diplomas e o cancelamento dos anteriores mediante comunicado à Câmara Municipal. Neste cenário assumem como vereadores eleitos Mauro André Weigmer (Tatu Motorista) (PP), Sérgio Gossenheimer (PP) e Holdi Römer (PMDB). Isto configura uma nova composição na Câmara, com seis vereadores no grupo de situação e três na oposição.

Casa do eletricista TRATAM. E ACESS.

Hoje com cinco vereadores na bancada, a oposição elegeu o professor Flágio Prigol (DEM) ao cargo de presidente da Câmara Municipal. À reportagem de O Presente, Prigol informou que ainda não foi oficiado sobre a nova totalização dos votos. Oficialmente não fomos informados, mas assim que recebermos o ofício vamos analisar com a equipe jurídica e técnica do Poder Legislativo. Se for determinado pela juíza, será acatada a decisão. Vamos aguardar o ofício para então nos pronunciarmos, frisa.

Se for confirmada a reversão dos Presidente da Câmara de Pato Bragado, Flávio Prigol: Se for determinado pela juíza, será acatada a decisão. Vamos aguardar o ofício para então nos pronunciarmos, frisa.

Se for confirmada a reversão dos recursos, o que obriga a posse de novos vereadores, Prigol emenda que ainda não tem data para empossar os novos membros da Câmara. Nós vamos depender do que o Cartório Eleitoral determinar, pontua. Por outro lado, o presidente afirma que o grupo de oposição tende a recorrer em outras instâncias para manter o quadro de vereadores. Isso está na mão do jurídico, que conduz todo este processo, e o jurídico está verificando esta possibilidade, finaliza.

TOPO