Fale com a gente

Editorial

Dez anos das viaturas pretas

Publicado

em

O Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron) completa em julho dez anos de atuação nas regiões Oeste e Sudoeste do Paraná. Com sede em Marechal Cândido Rondon, nessa década, o BPFron apreendeu mais de mil armas de fogo, 36 mil munições, 46 toneladas de defensivos agrícolas clandestinos, 130 milhões de maços de cigarro e mais de 160 toneladas de drogas. Também recuperou cerca de 700 veículos, prendeu mais de cinco mil pessoas ligadas a crimes transnacionais e causou prejuízos de R$ 1 bilhão para as quadrilhas.

O BPFron surgiu do decreto 4.905, de 06 de junho de 2012, e foi oficialmente inaugurado no dia 25 de julho do mesmo ano. As rondas e operações, com modernas técnicas e procedimentos policiais, utilizando inteligência e equipamentos de ponta, com material humano especializado, tornaram a vida dos criminosos mais difícil e a vida nas cidades mais tranquila.

A sede do Batalhão está situada no município de Marechal Cândido Rondon e há companhias em Guaíra, Santo Antônio do Sudoeste, além da 1ª Companhia, que também pertence à cidade-sede. São cobertos 139 municípios do Paraná, com pelotões especializados, por exemplo, no policiamento náutico e emprego de cães. Em todo o território de atuação, as viaturas pretas reforçam para as pessoas de bem e para os criminosos que o Estado está presente, alerta, atuante e de olhos bem abertos.

Vale destacar a importância da parceria com o município de Marechal Cândido Rondon, que tem oportunizado espaço para sediar o BPFron nessa última década. Certamente, a parceria com a sociedade e com as lideranças locais contribuiu para o bom desenvolvimento das atividades da polícia militar especializada em fronteiras.

Ao completar dez anos, e com certa demora, o BPFron está prestes a avançar ainda mais, com as obras da construção de sua tão sonhada e necessária sede própria. Será mais um importante passo para dar a essa instituição de segurança pública um local ainda mais adequado para planejar e executar funções, tarefas e operações.

Ao celebrar uma década é fundamental também valorizar o trabalho dos militares que passaram pela corporação ou ainda atuam no combate aos crimes. Homens e mulheres que arriscam suas vidas para manter a ordem, a lei e a paz nas cidades. São verdadeiros guerreiros a favor da sociedade brasileira.

O trabalho não pode parar. O crime muda, o criminoso se especializa, encontra novos meios de ganhar dinheiro ilegalmente. Por isso, a polícia também precisa se modernizar. A capacitação das pessoas deve ser constante, o investimento em novos equipamentos, armas, viaturas e, especialmente, em inteligência deve ser regra inabalável.

Investir em segurança pública, especialmente na região da tríplice fronteira, é de suma importância para manter a paz e mostrar ao crime que o Estado não é omisso, pelo contrário. Há dez anos as viaturas pretas chegaram para ajudar. Que continuem, por muitos mais anos, a desenvolver esse trabalho exemplar e valoroso à população.

Continue Lendo

Facebook