Fale com a gente

Editorial

Nada justo

Publicado

em

Termina no próximo dia 31 o prazo para que parte dos brasileiros faça a declaração do Imposto de Renda. Como o próprio nome sugere, é o imposto que incide sobre o rendimento das pessoas. Quanto mais se ganha, mais se paga.

Mas, o brasileiro paga muito mais impostos. Quando vai à frutaria, paga imposto. Mais que isso. Quando acorda, olha para o espelho com impostos que ele comprou. Usa o pente vendido com impostos, a pasta, a escova de dente com impostos, seca o rosto na toalha comprada com impostos. Veste sua roupa cheia de impostos e calça uma bota com o peso dos impostos. Sai com seu carro pago bem mais caro por causa dos impostos, consumindo o combustível que custa o dobro por causa dos impostos.

La na feira, seu João, um microempresário que paga impostos para poder trabalhar, oferece suas frutas diversas, cheias de sabor, cores e impostos. Nas escolas, nos supermercados, na hora de trocar o gás de cozinha, no brinde com os amigos, na reforma da casa, por onde se olha, lá estão os impostos. E não adianta se esquivar, porque é imposto, obrigatório.

Pagar impostos é, a grosso modo, uma forma de juntar dinheiro para que as administrações federal, estaduais e municipais possam prover suas populações com bem-estar, educação, saúde, infraestrutura, entre outras situações. Mas para o brasileiro, de tudo o que se paga, pouco vem em troca.

Os impostos são para dar segurança, mas quem quer um pouco mais tem que contratar a segurança privada, que paga impostos. Na educação, tem a pública paga pelos impostos, mas tem a privada que oferece um pouco a mais. Na saúde, bem… veja os poderosos operadores da saúde privada. Enfim, pouco se recebe em troca, e o que se recebe ainda tem, de certa maneira, qualidade inferior.

Com objetivo de conscientizar a população sobre a quantidade de impostos embutidos nos produtos e serviços consumidos diariamente, o Conselho do Jovem Empreendedor (Cojem) de Marechal Cândido Rondon, ligado à Associação Comercial e Empresarial (Acimacar), realiza neste sábado (22) mais uma edição do Feirão do Imposto. Amanhã, as pessoas que comprarem em lojas participantes em Marechal Rondon vão poder pagar por produtos e serviços livre de impostos.

O Feirão do Imposto 2021 tem como tema “Pra ser justo” e tem por objetivo essencial não vender mais barato, mas, sim, informar as pessoas sobre a quantidade de impostos que incidem sobre as compras. Vale lembrar que as compras devem ser feitas pelo delivery ou para retirada no balcão com hora marcada.

Pagar impostos e tributos é importante para financiar o Estado, mas o brasileiro paga muito. A população teria muito mais acesso a bens e serviços não fossem os impostos que incidem sobre tudo e sobre todos.

Uma reforma tributária precisa ser feita com urgência no Brasil. Mas, acima de tudo, é preciso usar o dinheiro que o povo paga com o povo. Se trata de pagar muito, mas também se trata de em troca receber muito pouco.

Continue Lendo

Facebook