Copagril
Isai Marcelo Hort

Ame sua esposa como seu celular! – Parte 2

Poucos de nós, maridos, estamos perto de amar nossas esposas como Cristo amou a igreja. Muitos não amam nem mesmo como amam alguns objetos. Já seria um desafio dizer: “amem vossas esposas assim como vosso celular”! Veja algumas comparações:

O celular cai no chão, o que ele faz? Quase que desesperado levanta o celular com cuidado e faz uma análise completa olhando de todos os ângulos, para ver se danificou. Mas quando a esposa diz que está com dor nas costas, porque limpou a casa e estendeu a sua roupa, “ah, lá vem ela novamente! Isso é frescura, só está querendo atenção”. (Talvez, ela realmente esteja desejando a atenção que você está dando ao seu aparelho)

Casa do Eletricista PISCINAS

Ele sai de casa sem o celular? Antes de sair, coloca a mão no bolso para assegurar-se da presença do fiel “companheiro”. Caso contrário, revira a casa toda, nem que perca alguns minutos, mas sair sem ele seria como sair sem roupa, impossível. Já se a esposa precisar de alguns minutos para terminar de arrumar o cabelo, ele é capaz de gritar: “eu não aguento mais, vou sem você”!

E quando a bateria está chegando ao fim? Com o olhar ele rastreia intensamente a tomada mais próxima. Ai se não tiver o carregador junto, ele fica inquieto e até nervoso. E se a mulher falar que está sem dinheiro? “Mas pra que você precisa de dinheiro novamente”? Pergunta ele, indignado.

O celular não pode ficar uma hora sem carga, mas a esposa poderia passar o mês inteiro sem um centavo no bolso.

Responda ainda: quantos minutos do dia passamos olhando para o smartphone e quantos dedicamos aos olhos do cônjuge? Caso precise do celular para o trabalho, considere apenas as horas em horário extracomercial e mesmo assim se surpreenderá com o resultado da soma.

Este vício não atinge somente os homens. Há poucos dias vi um noticiário de um marido que, desesperado, agrediu a esposa por usar excessivamente o computador. Ele queria ao menos um pouco da atenção que aquela máquina estava recebendo.

Meu objetivo com este artigo não é convencê-lo a voltar no tempo e viver sem este recurso. Ele é ótimo, até para trocar mensagens carinhosas com sua amada (pode enviar uma agora mesmo se desejar, será mais proveitoso do que ler o restante do artigo). Quero apenas relembrar de nossas prioridades. Você não tem que atender todas as chamadas. Você não tem que ler sempre que chega uma mensagem nova. Ninguém lhe obriga a ler as novidades do Facebook a cada instante.

 

Em 1888 foi declarado o fim da escravidão no Brasil, mas infelizmente sempre encontramos outros meios de nos tornarmos “escravos modernos”. Não deixe o celular ser o senhor sobre a sua vida, muito menos prejudicar o relacionamento com a pessoa mais importante. “Ame sua esposa assim como Cristo amou a igreja”. Para Cristo, isso significou entregar a própria vida. Vamos começar entregando ao menos nosso tempo, atenção e carinho.

 

* O autor é pastor da Igreja de Deus no Brasil em Marechal Cândido Rondon

isaihort@yahoo.de

 

TOPO