Copagril
Pastor Mário Hort

O batismo ortodoxo é suficiente para alcançar a convicção na fé? – 6ª parte

 

Entrevista gravada com Blagochinkov Dmitry, em Moscou.

 

Mário Hort: Dmitry, o que Deus fez para fazer você ser um cristão convicto na Rússia?

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Blagochinkov Dmitry: Eu nasci numa pequena cidade, distante a dois mil quilômetros de Moscou. Aos 16 anos de idade, eu estava interessado em saber algo mais de Deus. Então fui à igreja Ortodoxa e pedi que eles me batizassem. Eu imaginei que deveria ir à igreja, ser batizado e logo tudo estaria em ordem. Com este argumento fui à igreja, eles me batizaram e colocaram uma cruz em meu peito e eu estive satisfeito. A igreja me deu um pequeno livreto com as orações do Pai Nosso e a oração de Elizabeth e eu comecei a orar essas orações todas as noites. Pensei que isso seria tudo que Deus esperava de mim.

Eu não possuía uma Bíblia, mas possuía um aparelho de toca-discos e obtive um LP da música de rock, de Jesus Chrit Superstar.

Este LP de ópera com várias músicas me fez conhecer os apóstolos, Pilatos e o que aconteceu em Jerusalém.

Com essas músicas eu comecei a amar a Jesus Cristo, e fiquei maravilhado com tudo o que Jesus fez por nós. Porém, as músicas do Jesus Christ Superstar, a cruz e as orações não fizeram de mim um cristão convicto.

Ao terminar colégio, entrei para a faculdade na cidade de Chelyabinsk. Estudei várias matérias, mas estive muito interessado em aprender inglês. Com isso decidi participar de um clube de pessoas que desejavam aprender o idioma. Este ambiente foi muito interessante, foi onde obtive boas amizades com gente boa.

E lá chegou certa noite um visitante estrangeiro. Este estrangeiro disse que ele seria pastor. E foi interessante dialogar com um americano, que nos respondia perguntas sobre Deus e valores espirituais. Ele nos falou muitas vezes de Deus e nos convidou para assistir aos cultos, quando então numa manhã de domingo eu visitei a sua igreja.

Mais tarde eu ouvi a mensagem do semeador e me questionei: “Que tipo de semente sou eu?”.

E eu tive o desejo de ser uma semente mais frutífera e produtiva. Então eu disse: “Senhor, se você existe, então faça de mim um cristão confidente e descido”.

Certa noite eu avaliei minha situação cristã e me questionei: “Quem afinal sou eu?”.

Neste instante eu lembrei de minha oração, que foi um tanto ignorante, mas dizia: “Senhor se você existe então faça de mim um cristão convicto”.

Naquele momento, avaliando todos os acontecimentos em minha vida que Deus já havia feito, como ele me fez crer em suas promessas, passei a entender a sua mensagem e a praticar o que eu ouvia da palavra.

De repente descobri que com tudo o que Deus havia feito eu podia dizer: “Sim, eu sei que o Senhor existe e que eu sou um cristão convicto, pois Ele respondeu a minha oração.

Ao avaliar tudo o que eu havia absorvido e entendido, de repente eu sabia, sem experiência extraordinária, que era um cristão convicto.

Agora já passaram mais de 20 anos de minha vida com Deus. Eu me formei no Seminário Bíblico, também me formei em Teologia. Servi a Deus de muitas maneiras, e nos últimos 11 anos sirvo ao Senhor como pastor em Moscou.

Eu percebo que todas as pessoas em Moscou, como em todas partes do mundo, precisam reconhecer que elas necessitam desta convicção para sua vida cristã, para estar em ordem com Deus.

 

Mário Hort, o autor é pastor da Igreja de Deus no Brasil em Marechal Cândido Rondon

ecosdaliberdade@yahoo.com.br

 

TOPO