Brincando na Praça 2019
Pastor Mário Hort

O DNA da flecha incendiária no voo Lisboa a Frankfurt – 8ª parte

Embarcamos para retornar a Frankfurt, após escrever: “Lisboa conhece o caminho estreito e o largo?”. O meu colega de poltrona, um senhor alemão, Dieter, estava fascinado pelas ideias de um português de Lisboa que lhe trouxe uma nova crença. O homem desconhecido tentou me converter ao niilismo:

Niilismo (do latim nihil, nada) é um termo filosófico; é a desvalorização e a morte do sentido, a ausência de finalidade e da resposta ao “por que” de todos os valores da fé e esperança.

Casa do Eletricista SORTEIO DE VERÃO

O filósofo alemão Friedrich Nietzsche considerou-se o primeiro niilista-clássico. A ideia-chave de Nietzsche incluía a “morte de Deus” e o eterno retorno.

Aos 44 anos de idade, Nietzsche sofreu um colapso e a perda total das faculdades mentais, doença atribuída à paresia geral atípica, devido à sífilis terciária.

Dieter, o colega de poltrona, tentou me converter para o “evangelho do nada” durante o voo de Lisboa para Frankfurt. Após ouvir o “sermão”, fui sentar sozinho na terceira fileira do avião.

Confesso que as palavras deste homem foram como flechas incendiárias, pois eu não posso lhe responder em reportagens.

Após o desembarque, junto à esteira das malas, observei o meu “evangelista” das trevas. Toquei no seu ombro e abandonei as regras de jornalista para me despedir gentilmente como pastor e lhe disse:

“Dieter, avaliei profundamente sua grande descoberta filosófica, segundo a qual no além tudo acaba no nada. Preciso lhe fazer uma colocação: eu sofri durante 35 anos de fibromialgia. Se no inferno existir apenas fibromialgia, não desejo que um único cão seja colocado neste lugar. Porém, se não existisse nada, nem castigo para os maus, nem glória para os que viveram sua vida na presença de Deus; se, como o senhor disse, nada existe após a morte, qual seria a razão de enfrentar todos os sofrimentos? Isso seria incentivo ao suicídio… Eu creio que haverá uma recompensa do bem e do mal, por essa razão dedico minha vida para alcançar a glória e não os sofrimentos eternos”.

A despedida do homem, que tentou me converter para o niilismo, foi tão calorosa e amigável que até pareceu ser a conversão do homem que havia se desviado da fé cristã como católico praticante.

Eu suplico a Deus que possamos encontrar Dieter e sua esposa na glória e que ele não continue se iludindo a si e a outras pessoas para o sofrimento eterno.

Se você encontra alguém chorando lágrimas de arrependimento, leve-o para uma pessoa autorizada em nome de Jesus para orar por esta pessoa, antes que seja tarde demais. Existe perdão para jovens e velhos, mas não espere até aos 80 ou mais anos de idade. É possível que na próxima esquina já seja tarde demais para chorar por seus pecados. Pecados não perdoados conduzem à condenação por toda a eternidade.

Você já avaliou o DNA de suas lágrimas? Encontrou “manchas” escuras no DNA?

Você já chorou muitas lágrimas pelos resultados dos seus pecados na infância, juventude ou durante mais de 80 anos?

Apresente o seu DNA diante do trono da graça de Deus, e em Jesus você pode quebrar a fita do DNA de sua vida pelo poder do sangue de Jesus por sua sincera oração.

 

Mário Hort, o autor é pastor da Igreja de Deus no Brasil em Marechal Cândido Rondon

ecosdaliberdade@yahoo.com.br

 

TOPO