Coluna ADI-PR

Paraná estará no pacote de concessões federais

Várias rodovias e aeroportos paranaenses devem entrar no programa nacional de concessões que o governo federal pretende apresentar nos próximos meses. A informação foi confirmada por integrantes do governo Ratinho Junior durante agenda em Brasília nesta semana.
Os detalhes de onde e quais terminais aeroviários e estradas podem ser concedidas para a iniciativa privada ainda não foram revelados, mas o relato é de que todo o estudo para embasar as licitações está bem adiantado. Ratinho esteve com uma comitiva do Paraná conversando com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e com o secretário especial da Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Santos de Vasconcelos, e saiu animado.
Relatou que o Paraná tem hoje uma das mais modernas leis sobre PPPs (parcerias público-privadas) e concessões do país, elaborada pela equipe do atual governo e aprovada ainda na legislatura passada.

Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, recebe o Governador do Estado do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior – Foto: Alberto Ruy/MInfra

 

Prestigiado
O Paraná anda prestigiado pelo primeiro escalão federal. No primeiro mês de governo, dois ministros já estiveram no Estado, da Agricultura e do Meio Ambiente. Além disso, em Brasília, o governador Ratinho Junior já teve agenda com o presidente Jair Bolsonaro e com ministros da Infraestrutura, Educação e Saúde. Fevereiro começa no mesmo ritmo. Na segunda-feira (04) o governador retorna para a capital federal para uma série de compromissos.

 

Novatos no Legislativo
Tomam posse nesta sexta-feira (1º) os 54 deputados estaduais e os 30 federais eleitos pelo Paraná no ano passado. O número de novatos é grande. Na Assembleia Legislativa a renovação é de 40%, enquanto na bancada federal paranaense chega a 50%. Vale lembrar que no mesmo dia assumem os dois senadores eleitos pelo Estado e que, neste caso, a renovação foi de 100%.

 

O breve
Primeiro deputado estadual de Quedas do Iguaçu, Elcio Jaime da Luz ficou apenas quatro dias no cargo. Suplente de Alexandre Guimarães, que renunciou para assumir a subchefia da Casa Civil, Elcio teve uma passagem relâmpago na Assembleia Legislativa. Um pouco mais de tempo tiveram os suplentes do atual governador Ratinho Junior e do chefe da Casa Civil Guto Silva, respectivamente Luís Raimundo Corti, de São Jorge D’Oeste, e Chico da Princesa, que representa o Norte Pioneiro. Ambos assumiram os cargos por 30 dias, durante o período de recesso da Assembleia Legislativa.

 

Mudanças constitucionais
Duas mudanças constitucionais devem movimentar os primeiros dias da Assembleia Legislativa. O Estado quer o fim das aposentadorias de governadores. A medida valeria a partir do fim do mandato do governador Ratinho Junior, sem impacto nos benefícios de governantes que já passaram pelo Palácio Iguaçu. Além disso, o governo vai pedir aos deputados que mudem o artigo da Constituição estadual que impede que o Estado faça leilão de imóveis públicos. Em razão da burocracia atual, poucas áreas do Estado, mesmo que estejam sem uso, podem ser vendidas.

 

Foco no turismo
A primeira campanha publicitária do Governo do Estado terá como tema o turismo. A ideia é incentivar os paranaenses a conhecer as atrações do Estado, além de atrair visitantes de Estados e países vizinhos. Outras ações estão sendo desenvolvidas, como a criação do portal e do aplicativo Viaje Paraná e a produção de conteúdos sobre turismo na TV Educativa.

 

Formação
Uma das mais conceituadas instituições de formação profissional do país, o Senai oferece cinco mil vagas para cursos técnicos no Paraná. De acordo com a instituição, uma qualificação neste nível pode ser suficiente para alcançar uma remuneração bastante elevada para os padrões nacionais. Nas áreas de eletromecânica, química e energia, por exemplo, o salário médio varia de R$ 7,2 mil a R$ 10 mil, de acordo com o tempo de experiência.

 

Novo mínimo
O novo salário mínimo regional começa a valer a partir de hoje (1º). O valor varia de R$ 1.306,80 a R$ 1.509,20, conforme a categoria profissional. É um dos maiores pisos do Brasil. O governo espera que o aumento do poder aquisitivo do trabalhador se reflita em mais vendas no comércio. Ou seja, que haja uma conta de “ganha-ganha”.

 

Da Redação ADI-PR Curitiba

TOPO