Geral 41,1ºC

Buenos Aires tem segundo dia mais quente de sua história

Avenida 9 de Julio, em Buenos Aires, às 18h de hoje. A temperatura no horário era de 39,3ºC após ter atingido a marca história no Observatório Central de Villa Ortúzar de 41,1ºC às 16h05 (Todo Noticias/Reprodução)

Nenhum morador da cidade de Buenos Aires que tenha menos de 65 anos de idade jamais experimentou em sua vida temperatura tão alta na Capital portenha como hoje, terça-feira, 11 de janeiro. Foi um dia de forno, tórrido, escaldante e histórico. Foi o segundo dia mais quente da história da cidade de Buenos Aires.

Às 16h, a temperatura era de 40,9ºC. O valor superou o registro de 40,5ºC de 18 de dezembro de 1995 e se tornou o primeiro acima de 40ºC na Capital portenha em 27 anos. Assim, superou também o maior valor para janeiro da série 1961-2021 de 38,8ºC em 6 de janeiro de 2012. A máxima final definitiva de hoje na cidade de Buenos Aires foi confirmada no fim da tarde pelo Serviço Meteorológico Nacional como 41,1ºC, o que faz deste 11 de janeiro de 2022 o segundo dia mais quente da história da Capital argentina. Apenas os 43,3ºC de 29 de janeiro de 1957, a máxima absoluta da série histórica iniciada em 1905, extremo que se deu no final de um período de três anos seguidos de La Niña (1955/1957) e com a Argentina enfrentando uma grave seca à epoca, supera a máxima de hoje. O evento de calor de 1957 foi memorável em Buenos Aires.

[ Publicidade ]
Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

A previsão é de o calor diminuir nesta quarta-feira na cidade de Buenos Aires, mas segue muito calor. A temperatura volta a aumentar na quinta e a sexta deve ter o pico de calor deste episódio extremo na Capital argentina com máxima 1ºC a 2ºC mais alta que a de hoje. O modelo europeu projetava para hoje 37ºC em superfície e a máxima foi 41ºC. Para sexta, o mesmo modelo indica 39ºC. Ou seja, a Capital argentina pode estabelecer uma nova marca histórica de calor na sexta.

[ Publicidade ]
Nied maio 2022 V

A temperatura extremamente elevada trouxe recorde de consumo de energia hoje e cortes descritos pela imprensa local como “massivos” atingiram Buenos Aires e a área metropolitana. O número de pessoas sem luz ficou perto de três milhões de argentinos no pico do apagão, considerando que 700 mil clientes ficaram sem energia. A página da concessionária que mostra os locais em que há falta de luz em tempo real saiu do ar pelo alto número de acessos.

Muitos semáforos de Buenos Aires estavam apagados, o que prejudicou o trânsito em importantes ruas e avenidas.

O serviço de trens também foi afetado com atrasos em todas as linhas na Capital portenha. A imprensa de Buenos Aires descrevia a situação no início da tarde como caótica na cidade com falta de luz, confusão no trânsito, postos de combustíveis parados e caixas eletrônicos de bancos não funcionando.

No final da tarde, a empresa de energia Edenor informou em seu Twitter que 80% dos clientes tinham tido a luz restabelecida, mas muitos moradores de Buenos Aires reclamavam que seguiam sem energia elétrica.

 

Com MetSul

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO