Geral HUOP

Diretor administrativo do Hospital Universitário busca mapear e renovar equipamentos

(Foto: Beatriz Baron)

Rodrigo Allan Barcella é Diretor Administrativo do Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop). Graduado em Farmácia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2008) e Especialista em Análises Clínicas e Toxicológicas pela Faculdade Assis Gurgacz. Servidor Público – Promotor de Saúde Profissional – da Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (SESA-PR) atuante da área de análises clínicas do laboratório do Huop.

  1. Diretor, quais os projetos imediatos que tem para o Huop na gestão?

O campo da gestão da Direção Administrativa é no gerenciamento interno. Uma das prioridades e projetos a curto prazo é o estabelecimento da parte de materiais hospitalares e insumos gerais para o hospital, para que haja um estoque mínimo de funcionamento, sem as séries de contratempos que vínhamos passando nos últimos anos.

Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

É necessário priorizar a questão de otimização de processos administrativos dentro do hospital, no sentido de criar um gerenciamento mais rápido e desburocratizado. Além disso, é preciso um atendimento expandido em alguns setores, para que seja mais apropriado para os servidores do período noturno.  São pequenos fluxos que precisam ser melhorados internamente e que melhora todo o serviço geral.

Além disso, temos o interesse em mapear e renovar os equipamentos. Vamos trabalhar para dar estrutura que o hospital requer, pois precisamos dar vazão para que possamos ter um ambiente mais adequado para prestar o serviço.

  1. Qual o planejamento, a longo prazo, para sua gestão, ou seja, o que pretende implementar dentro da sua área de atuação? 

O curto e longo prazo ficam um pouco emaranhados pelo fato da nossa gestão ter a princípio um ano, pois temos a proposta de criar a consulta dentro do hospital para escolha de diretores. E esse é um trabalho que vamos priorizar junto com a Direção Geral, para a construção de um regimento interno para o hospital, que vai deixá-lo mais caracterizado dentro da estrutura organizacional e vai permitir as consultas para direção. Outro ponto importante do regimento é o Conselho Gestor, para que possamos ter uma participação mais homogênea das direções, serviços e inclusive a comunidade externa. Ele vem para suprir a questão de democratização dos espaços e da estrutura do hospital. Além disso, também pretendemos criar um projeto de acessibilidade e controle de acesso e monitoramento dentro do hospital.

  1. Qual a visão que senhor tem do Huop?

O Huop presta um serviço público para uma macrorregião e tem uma importância extrema. É uma das instituições públicas mais importantes da nossa região, pensando na questão de recuperação de saúde de forma humanizada. Mas a minha visão vai além, pois fui formado na Unioeste, e minha base de conhecimento veio também do hospital, onde pude atuar como estagiário. Eu vivenciei essa experiência e sei que é uma instituição importante para o conhecimento e saúde da população. É uma visão que precisamos exteriorizar, para que a população compreenda que não é uma questão de reposição de saúde apenas, mas também de formação de profissionais.

 

Com assessoria 

 

Clique e participe do nosso grupo do Whatsapp

TOPO