Ford/Abradif/Rodovel Ranger
Geral Economia

PTI e Fundetec formalizam cooperação para desenvolvimento regional sustentável

A parceria entre as instituições visa uma cooperação técnica para implementação de projetos como atividades de ensino e pesquisa, e incubação de empresas (Foto: Kiko Sierich/PTI)

O Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e a Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Fundetec) firmaram um protocolo de intenções visando o desenvolvimento socioeconômico regional sustentável, com foco no impulsionamento da economia urbana, energias renováveis, mobilidade segura e ambientalmente consciente, inovação tecnológica e negócios.

A formalização da parceria aconteceu na última sexta-feira (08) durante a 31ª edição do Show Rural Coopavel, no estande do PTI. O objetivo é que haja cooperação técnica entre as duas instituições para implementação de projetos e atividades de ensino, pesquisa, extensão, transferência de tecnologias, recursos financeiros, intercâmbios e incubação de empresas. Para o início oficial das ações conjuntas, está prevista para o mês de março uma reunião de alinhamento entre o Parque e a Fundetec.

De acordo com Jorge Augusto Callado Afonso, diretor superintendente do PTI, a iniciativa trará resultados positivos com benefícios em potencial para todo o Estado, fortalecendo novas empresas que serão incubadas, criando soluções para o agronegócio e as agroindústrias, além de uma importante vertente relacionada à Internet das Coisas.

“É o encontro de dois motores importantes para inovação. Queremos colocar o PTI cada vez mais próximo dos setores produtivos, o que torna essa assinatura um ato bastante relevante”, destacou Callado.

Além disso, conforme o andamento das projetos em conjunto pelo PTI e a Fundetec, poderão ser adicionados outros parceiros com interesse na concentração de esforços ou na elaboração de consórcios para a implementação de iniciativas específicas. A ideia é que o haja fortalecimento de ações na área educacional e no empreendedorismo de alto impacto no Brasil e no Paraguai.

Alcione Gomes, presidente da Fundetec, reforçou que trata-se de um grande passo na ampliação dos trabalhos compartilhados em diferentes setores, especialmente “nas áreas de bioenergia, biotecnologia, desenvolvimento de startups e energia renováveis, entre outros”.

 

Com assessoria 

TOPO