Geral Restrições

“Querem que a gente morra de fome, de sede, de frio”, diz presidente do Instituto Lula

Presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, também teve as contas bloqueadas (Foto: Divulgação)

Com o novo bloqueio nas contas decretado pela Justiça de São Paulo, o Instituto Lula conseguiria manter as portas abertas por até dois meses. A restrição nas contas também atinge o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde o último dia 07, em Curitiba.

Segundo o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, o ex-presidente Lula não tem condições de pagar água, luz, advogados, convênio médico e todas as despesas básicas de sua subsistência estão comprometidas.

O bloqueio das contas do Instituto Lula impede que o próprio ex-presidente pague despesas básicas já que as contas pessoais dele já tinham também sido interditadas. “O Lula agora não tem mais como pagar água, luz, telefone de seu apartamento nem convênio médico, advogados, nada”, diz Okamotto, que também teve as contas bloqueadas. “Querem que a gente morra de fome, de sede, sem defesa, de frio”.

 

Com agências

TOPO