Copagril
Geral Exame Nacional do Ensino Médio

Texto de professora da Unioeste é citado no ENEM

(Foto: Andréa Pasquetti)

A questão 88 do Exame Nacional do Ensino Médio 2019 foi uma grata surpresa para as autoras do texto citado na questão e para o Centro Brasileiro de Estudos da Saúde (Cebes). Uma das autoras é a professora doutora em Saúde Coletiva Maria Lucia Frizon Rizzotto da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) que escreveu o texto em parceria com as professoras Ana Maria Costa da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS) e Lenaura de Vasconcelos Costa Lobato da Universidade Federal Fluminense (UFF).

A citação afirma que: “A criação do Sistema Único de Saúde (SUS) como uma política para todos constitui-se uma das mais importantes conquistas da sociedade brasileira no século XXI. O SUS deve ser valorizado e defendido como um marco para a cidadania e o avanço civilizatório. A democracia envolve um modelo de Estado no qual políticas protegem os cidadãos e reduzem as desigualdades. O SUS é uma diretriz que fortalece a cidadania e contribui para assegurar o exercício de direitos, o pluralismo político e o bem-estar como valores de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, conforme prevê a Constituição Federal de 1988”.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

A pergunta pedia duas características da concepção da política pública analisadas no texto, cuja resposta correta era: universalismo e igualitarismo.

O texto foi extraído do Editorial do número 116 da Revista Saúde em Debate e reflete o pensamento das autoras e do próprio Cebes, criado em 1976. Nestes 43 anos de existência o Cebes tem defendido o SUS como a política pública mais inclusiva da história brasileira, pelo seu caráter universalista e igualitarista.

As autoras apontam que nesse texto observa-se o exercício cotidiano de valores como a solidariedade, a justiça e o bem-estar. “Daí a importância de aparecer na prova do ENEM onde 15 milhões de jovens puderam ler e refletir sobre as características no nosso sistema de saúde. A defesa do SUS, que se encontra ameaçado e em franco processo de desmonte, deve ser uma luta de toda sociedade brasileira. Não podemos permitir retrocessos no direito à saúde garantido pela Constituição Federal, por isso a defesa intransigente do SUS universal, com equidade, integralidade e qualidade”.

 

Com assessoria

TOPO