Copagril – Sou agro com orgulho
Marechal No Facebook

Marechal Rondon ganha mais um espaço para compartilhar memórias

(Foto: O Presente)

Cada espaço de uma cidade tem uma história e alguns pontos de importância singular, mas nem sempre as pessoas se dão conta da carga cultural presente em seu dia a dia.

Pensando nesse esquecimento, muitas vezes não intencional, surgiram diversos meios que visam resgatar e propagar a memória coletiva de Estados e municípios, tais como sites, jornais, páginas ou grupos de discussão. Adair Alcione Krolow é um dos entusiastas desse resgate cultural e, atualmente, administra grupos na rede social Facebook com o objetivo de preservar a história de cidades paranaenses.

Casa do Eletricista – Temporizador Jardim

Um dos grupos administrados por ele é o “Marechal Cândido Rondon Memória e Fotos Atuais-PR”. “Além deste, sou administrador das páginas de nome correspondentes para os municípios paranaenses de Toledo, Cascavel, Verê, Pato Branco e Foz do Iguaçu e Cataratas”, contou ao O Presente.

Para o administrador do grupo rondonense, a história de qualquer cidade precisa ser preservada. “Aqueles que fizeram parte da história deixam seu legado para a posteridade, uma vez que as pessoas desconhecem o que muitos pioneiros fizeram pelo município, desde a sua criação até os dias atuais. A memória tem que ser preservada e estas pessoas precisam ser lembradas para futuras gerações. Esta é a função da página no Facebook”, expõe.

Segundo ele, um exemplo da preservação de memória é Arlindo Alberto Lamb. “Foi um grande desbravador e pioneiro que lutou pela criação do município. Marcado por ser o primeiro prefeito de Marechal Rondon, hoje a maioria dos munícipes sabe quem foi, mas as gerações futuras, quando virem o seu nome em uma praça ou em uma rua, podem não saber quem foi essa pessoa, caso a memória não seja preservada”, pontua.

Adair Krolow é administrador do grupo com o intuito de propagar a história do município rondonense: “Eu me daria satisfeito se o de Marechal Rondon tivesse pelo menos cinco mil participantes” (Foto: Divulgação)

 

ESTADOS E MUNICÍPIOS

Os grupos foram criados a partir do portal memoriaparanaense.com.br, menciona Krolow, administrado pelo jornalista José Wille. “Preocupado em preservar a memória do Estado do Paraná e de suas cidades, ele criou páginas para cada município paranaense que possui os seus colaboradores. Além disso, foram criadas páginas dos Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, além da Memória da Televisão”, comenta.

No site em nível estadual, Wille registra figuras ilustres e importantes ao Paraná por meio de entrevistas. “A ideia de criar estas páginas em nível municipal foi do jornalista e eu entrei no projeto como um coadjuvante, no intuito de colaborar com ele. Preservar fatos e fotos é um assunto que me cativa muito”, destaca Krolow.

 

MARECHAL RONDON

O grupo referente ao município rondonense é público e visível para a comunidade da rede social. “Foi criado em 05 de fevereiro de 2015 pelo José Wille e a minha pessoa, por possuir raízes em Toledo e Marechal Rondon, passou a colaborar como administrador da página”, relata.

De acordo com Krolow, o objetivo do grupo é preservar a história do município, fazer com que as pessoas se recordem ou a conheçam. “O grupo procura retratar fatos e fotos marcantes do passado de Marechal Rondon. O objetivo é preservar a história e perpetuar memórias dos municípios”, enaltece.

 

ADESÃO DO PÚBLICO

Atualmente, o grupo está na marca dos 1.074 membros, com adesão de outras pessoas diariamente, aponta o administrador do grupo. “A adesão atualmente não está dentro da expectativa, talvez por desconhecimento da existência da página. Os novos ingressantes aderem ao grupo geralmente através de convite”, diz.

De acordo com ele, quando há envolvimento da comunidade em perpetuar a memória de sua cidade, todos colaboram. “Tomemos como exemplo a cidade de Apucarana, onde o grupo possui mais de 16 mil membros. Eu me daria por satisfeito se o de Marechal Rondon tivesse pelo menos cinco mil participantes”, projeta.

 

CONTEÚDO

O conteúdo divulgado no grupo, declara Krolow, é proveniente dos próprios membros que têm liberdade para postar, mediante análise do administrador. “É vedada a inserção de assuntos políticos, religiosos, discurso de ódio, propagandas e assuntos que fogem do tema principal. Postagens ou comentários desse tipo são excluídas pelo administrador”, ressalta.

Conforme ele, muitos materiais são provenientes do portal Memória Rondonense, projeto coordenado por Harto Viteck, com os devidos créditos à fonte.

 

ADAIR KROLOW

Krolow é nascido em Carazinho, Rio Grande do Sul, e aos cinco anos de idade se mudou para a Linha Guaçu, interior de Toledo. Com uma década e meia de vida, ele passou a trabalhar na Rádio Guaçu e, de 1977 até a década de 80, trabalhou na Rádio Difusora, em Marechal Rondon, onde manteve residência.

Depois de cursar eletrônica no antigo Cefet, em Curitiba, Krolow casou-se com Terezinha Zandir Alberti. Como outras ocupações, ele foi agente de telecomunicações no extinto Dentel, técnico de telecomunicações na Rede Paranaense de Televisão, afiliada da Rede Globo, e em 1991 partiu para o Grupo Abril, onde permaneceu por 13 anos e a deixou como gerente geral para a região Sul, em 2004. Posteriormente, o empresário do ramo de telecomunicações passou a ser responsável pela Geração do Canal Universitário da Universidade Federal do Paraná (UFPR) até 2019, quando o canal se extinguiu. Atualmente, aos 65 anos, Krolow reside em Verê, está aposentado e dedica seu tempo em compartilhar memórias de cidades do Oeste e do Sudoeste do Paraná.

 

O Presente

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO