Fale com a gente

Municípios Cascavel

Briga que terminou com jovem morto a facadas em fila de drive-thru teria sido por motivo banal, diz delegada

Publicado

em

(Foto: Reprodução)

O jovem Gabriel Gomes Baiça Neto, de 26 anos, foi morto a facadas na fila de drive-thru de um restaurante em Cascavel, de acordo com a Polícia Civil. O crime foi na noite de domingo (23), na Avenida Brasil.

Imagens de uma câmera de segurança registraram uma movimentação em frente ao local. Em seguida alguns carros dão marcha a ré e Gabriel aparece atravessando a avenida e cai ao chão. Pessoas começam a se aproximar dele e, após um tempo, surge uma ambulância.

Conforme a delegada Mariana Vieira, que investiga o caso, uma discussão entre Gabriel e o suspeito pelo crime – que a polícia não informou se já foi identificado – resultou no homicídio.

“Motivos banais, uma briga, uma discussão que leva a mais um óbito aqui em Cascavel. […] Foi uma discussão na fila do drive-thru que culminou com as pessoas envolvidas entrando em luta corporal, uma delas com uma arma branca, que feriu a vítima e levou ela a óbito,” informou Mariana.

A delegada não passou outros detalhes da investigação.

Segundo os bombeiros, que atenderam a ocorrência, o homem foi levado com vida ao Hospital Universitário, mas morreu pouco depois de dar entrada no local.

A mulher de Gabriel, Vitória Blenda Beloni, prestou depoimento à policia nesta segunda-feira (23). A jovem afirma que ela, o marido e um amigo estavam em uma fila dupla do drive-thru e que o suspeito pensou que eles estariam tentando entrar no local na vez dele.

O suspeito saiu do carro assim como Gabriel e o amigo, e iniciaram uma discussão, conforme Vitória.

“O cara era muito alterado, ele quis realmente brigar. A gente ia dar a frente pra ele, mas ele quis sair de dentro do carro e brigar e o Gabriel saiu de dentro do carro também. Só que pra mim, ia ser uma briga normal, mas o cara já foi com a faca no Gabriel. Eu não tinha visto o acidente grave que tinha sido. […] Quando o nosso amigo disse que o Gabriel estava sangrando, a polícia já chegou, foi muito rápido”, relatou a mulher.

A jovem alega ainda que foi agredida pelo suspeito com um soco na cabeça ao tentar separar a briga. Após as agressões, segundo ela, o homem saiu do local batendo nos outros carros que estavam aguardando na fila.

A advogada de Gabriel, Débora Regina Breda, informou que o jovem e o suspeito não se conheciam e que a família dele deseja justiça. “Ninguém se conhecia, houve um desentendimento ali, e aparentemente o dono do carro pensou que o carro do Gabriel iria furar a fila.[…] queremos que seja preso e que ele saia do convívio da sociedade porque ele é muito perigoso,” afirmou a advogada.

 

Com g1
Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

Facebook