Ecoville – Maior rede de limpeza
Municípios Unioeste

Futuro diretor do campus de Francisco Beltrão diz que objetivo é ampliar quadro de servidores

(Foto: Divulgação)

Eleito para ser o diretor geral do campus de Francisco Beltrão da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), professor Adilson Carlos da Rocha, explica quais as metas e objetivos que foram traçados para serem implementados ao longo dos próximos anos afim de promover maior desenvolvimento do Campus.

Adilson é doutor em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração (PMDA) na Universidade Positivo; mestre em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria – RS (2012-2013); pós-graduação (Lato Sensu) em Controladoria e Gestão Financeira pela UNIPAR – Universidade Paranaense (2007-2008); bacharel em Administração pela UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná (2002-2006). Atua como professor adjunto do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da UNIOESTE – Campus de Francisco Beltrão – Curso de Administração (2010-2012) e (2013 – atual) Atualmente é membro (pesquisador) do Grupo Multidisciplinar de Estudos Organizacionais (GMEO), e do Grupo de Pesquisa em Gestão, Estratégia, Inovação e Contabilidade (GEIC) na Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Ingressou na Unioeste como acadêmico em março de 2000, iniciou como estagiário em outubro do mesmo ano. Em maio de 2001 empossado como agente universitários efetivo atuando até agosto de 2014. Possui experiência na área de Administração, com ênfase em Administração Pública, durante 11 anos exerceu funções em nível gerencial no serviço público. No período de 2013 a 2019 também exerceu o cargo de assessor técnico na Direção Geral de Campus.

Casa do eletricista MINIESCAVADEIRA

 

Quais as metas a curto prazo para o Campus?

A metas para 2020 estão pautadas em viabilizar recursos para execução de projetos que complementem as estruturas existentes, como área de convivência, construção de salas e instalação de elevadores. Trabalhar junto às lideranças regionais a expansão dos cursos de graduação já aprovados pela Universidade. Também iniciar um novo processo de concessão para os Restaurantes Universitários. Ademais, buscaremos atender demandas que viabilizem as atividades de ensino, pesquisa e extensão.

 

Qual projeto de trabalho que pretende implantar na sua gestão?

A principal proposta é com relação aos recursos humanos, principalmente para atender os cursos implantados, os quais ainda não tem quadro de recursos humanos completo, e parte do projeto pedagógico é mantido com professores voluntários. Há uma defasagem significativa também no quadro de agentes universitários. Então essa é uma grande dificuldade que temos que enfrentar nesse período de gestão.

Além da ampliação dos recursos humanos, o qual não acompanhou o crescimento do Campus, é necessário também melhorar as condições de custeio, que mantém as atividades de ensino, pesquisa e extensão.

No âmbito da infraestrutura são necessários investimentos em edificações e equipamentos, principalmente finalizar a construção do ambulatório no Centro de Ciências da Saúde, o qual oportunizará atendimento à comunidade externa. Com a finalização desta estrutura poderemos ter captação de recursos para prestação de serviços à comunidade. Então precisamos investir em infraestrutura que venham a atender demandas do ensino, da pesquisa e da extensão.

 

Qual a visão que o senhor tem hoje da Instituição tanto no âmbito regional, estadual e nacional?

As ações da nossa universidade estão fundamentadas na articulação entre ensino, pesquisa e extensão, voltadas, em especial, para o desenvolvimento local e regional de forma sustentável, pautando-se na defesa do ensino público, gratuito e de qualidade; respeito à diversidade e às especificidades das várias áreas do conhecimento; tratamento isonômico para centros, cursos, grupos de pesquisas e projetos/programas de extensão; e tratamento humanizado a docentes, agentes universitários e acadêmicos.

A missão da Universidade só será efetivada se as ações da Unioeste tiverem em seu escopo os acadêmicos e suas condições de estudo, primordial para nossa existência institucional. Ações que potencializem concessão de bolsas no ensino, pesquisa e extensão, condições e ações de assistência estudantil adequadas são cruciais para atingir resultados satisfatórios.

A valorização profissional, melhores condições de trabalho e o incentivo à qualificação dos servidores docentes e agentes universitários são fundamentais para elevar a qualidade das ações, propiciando um melhor atendimento às demandas e aos anseios da sociedade local e regional.

Acreditamos que estes aspectos elencados são fundamentais para que o Campus da Unioeste de Francisco Beltrão se consolide como referência educacional da região Sudoeste, do Estado do Paraná e do Brasil.

 

Com assessoria

TOPO