Política Sem dados no TSE

Futuro do PSD é uma incógnita em Marechal Rondon

Presidente do PSD de Marechal Cândido Rondon, Sérgio Marcucci: “Apoiamos, como desde o início, o prefeito Marcio, inclusive com elogios na forma como ele vem administrando o município” (Foto: Arquivo/OP)

 

O futuro do PSD de Marechal Cândido Rondon virou uma incógnita. O partido apoiou a campanha do prefeito Marcio Rauber (DEM) e integra o governo municipal, inclusive com a indicação de Sérgio Marcucci à Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo. Marcucci, aliás, é o presidente da comissão provisória da agremiação.

As divergências internas começam a partir daí. A sigla conta com um vereador, Ronaldo Pohl, que faz parte de uma nova aliança que se formou no Legislativo e que, na visão do prefeito, é um grupo oposicionista.

Paralelo a isso, houve muitos comentários que após a eleição o deputado estadual Ademir Bier, que saiu do MDB e migrou para o PSD, passaria a ter comando sobre o partido rondonense.

Até o momento, contudo, nenhuma movimentação neste sentido foi registrada. Mas chama atenção o fato de que no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não constam dados do PSD local. Procurado pelo Jornal O Presente, o deputado não foi localizado para comentar o assunto.

 

“O partido é situação”

À reportagem de O Presente, Marcucci disse que continua como presidente do PSD. “Não tenho notícia nenhuma (de mudança). Até então, para mim, estou presidente”, declarou. “Não fui informado de nada”, emendou.

O secretário municipal também reforçou que o partido faz parte da base do governo do prefeito. “Enquanto eu estiver como presidente e não só por convicção pessoal, mas por determinação do deputado federal Evandro Roman (PSD) e por um posicionamento dele, o partido em Marechal Cândido Rondon será situação. Apoiamos, como desde o início, o prefeito Marcio, inclusive com elogios na forma como ele vem administrando o município, com transparência, coerência e respeito ao dinheiro público”, afirma.

 

O Presente

TOPO