Política Entrevista ao O Presente

“No Paraná o meu candidato é Alvaro Dias, com a permissão do PP”, declara Kaefer

Deputado federal Alfredo Kaefer (PP): “O senador Alvaro Dias (Podemos) é o homem que fez 77% dos votos válidos ao Senado na última eleição, possui todas as credenciais e tenho muita esperança de que ele possa chegar ao segundo turno” (Foto: Joni Lang/OP)

Entre as inúmeras autoridades presentes à Expo Rondon no domingo (29) esteve o deputado federal Alfredo Kaefer (PP), pré-candidato ao quarto mandato à Câmara Federal. Ao O Presente, o parlamentar salientou que a convenção nacional dos Progressistas acontecerá quinta-feira (02) em um dos plenários da Câmara, enquanto no sábado (04) será realizada a convenção estadual que trabalha para oficializar o nome da pré-candidata à reeleição ao Governo do Paraná, Cida Borghetti (PP).

O deputado federal diz que em nível nacional os progressistas estão no grupo Centrão, que fechou aliança com o pré-candidato Geraldo Alckmin (PSDB), no entanto, Kaefer, que esteve próximo de ingressar no Podemos, apoia o pré-candidato a presidente deste partido, o senador Alvaro Dias. “Há muito tempo eu havia pedido permissão ao partido (PP) dizendo que no Estado do Paraná há uma figura histórica da política com uma trajetória irreparável, que é o senador Alvaro Dias”, pontua. “No Paraná o meu candidato é o senador Alvaro Dias, com a permissão do Progressistas. Caso ele não atinja o segundo turno, aí a gente vai acompanhar o partido. O senador Alvaro Dias é o homem que fez 77% dos votos válidos ao Senado na última eleição, possui todas as credenciais e tenho muita esperança de que ele possa chegar ao segundo turno”, frisa Kaefer.

 

CHAPÃO

Indagado sobre a formação de uma chapa forte que aglutine inúmeras siglas e obtenha êxito no pleito, o cascavelense afirma que se trabalha no sentido de costurar uma aliança na proporcional para compor ampla chapa de candidatos a deputado. “É possível que a chapa a deputado estadual não seja exatamente na mesma proporção da coligação em nível federal, pois o que se planeja com os pré-candidatos a federal é uma chapa em que até o momento contamos com PP, DEM, PSB e PPS, que já confirmou”, expõe. “Será um chapão para tentarmos eleger acima de dez deputados federais na coligação. Esperamos que as convenções confirmem esse quadro, facilitando um pouco mais essas candidaturas à proporcional, pois alguns partidos teriam mais dificuldade de eleger e assim todos juntos acredito ser possível chegar a dez, 12 ou quem sabe até 15 eleitos na coligação da governadora Cida Borghetti”, enaltece.

Segundo Kaefer, são estimados de 5,5 milhões a seis milhões de votos válidos para 30 cadeiras, necessitando, em tese, de 170 mil a 180 mil sufrágios para eleger um assento. “Se essa coligação fizer dois milhões de votos, nós elegeremos dez deputados. Eu entendo que para ter segurança nessa aliança será preciso garantir de 90 mil a 100 mil votos para cada candidato estar no quadro de eleitos”, aponta.

 

MARECHAL RONDON

Kaefer lembra que quatro anos atrás formou parceria com o deputado estadual Elio Rusch (DEM) no município, o que deve se repetir nesse ano, embora o rondonense dobre de forma mais direta com o pré-candidato Evandro Roman (PSD). “Nós tivemos uma parceria forte com o deputado Rusch e continuamos a fazer essa construção, tanto que já temos um grupo identificado aqui em Marechal Rondon. O deputado Rusch tem outros parceiros fora do nosso nome, mas, diante dessa lealdade por parte do deputado, nós estamos organizando um grupo que vai fazer votos para Elio Rusch e Alfredo Kaefer”, enalteceu.

 

O Presente

 

TOPO