Copagril
Política Organização

Pros reestrutura partido e vai disputar as eleições nos grandes municípios

Presidente do Pros no Paraná, Alisson Wandscheer: “Teremos algo em torno de três mil a quatro mil candidatos a vereador e pelo menos 50 candidatos a prefeito”. (Foto: José Cordella)

O presidente do Partido Republicano da Ordem Social (Pros) no Paraná, Alisson Wandscheer, percorreu municípios do Oeste do Estado no último fim de semana e adianta que a legenda já “está formalizada e estruturada” em 100 cidades. Segundo ele, até o ano que vem a sigla vai ter 200 provisórias aptas a disputar as eleições de prefeito e vereador em outubro de 2020.

“Vamos disputar a eleição com chapa de vereadores e ter, dentre esses, pelo menos 50 candidatos a prefeito. Estamos filiando lideranças, dentre elas o ex-prefeito de Cascavel, Edgar Bueno”, comenta, informando que a filiação de Bueno vai ocorrer no próximo dia 22, em Cascavel. “Também teremos candidato em Guarapuava”, acrescenta.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Wandscheer, 1º suplente de deputado, aponta os deputados Boca Aberta, Homero Marchese e Tatiana Fruet como candidaturas fortes em Londrina, Maringá e Foz do Iguaçu, respectivamente. “Vamos crescer nas grandes, médias e pequenas cidades. É um trabalho que estamos fazendo através do mandato do deputado federal Toninho Wandscheer, e a receptividade está sendo muito boa nas cidades”, enaltece.

 

PARTIDOS

O arco de aliança do Pros vai do PSB, MDB, SD e até o PSD do governador Ratinho Junior. “Temos uma conversa avançada com o governador, que tem atendido os prefeitos do Pros. No PSB conversamos com os deputados Romanelli e Aliel Machado e no MDB com o presidente estadual, João Arruda. Vamos respeitar a conjuntura política de cada cidade, mas queremos ter uma participação forte na eleição municipal”, ressalta Wandscheer.

A expectativa do Pros, conforme ele, é eleger pelo menos 20 prefeitos e um vereador em cada uma das 200 cidades onde o partido estará organizado. “Teremos algo em torno de três mil a quatro mil candidatos a vereador. Cada um deles vai ter um kit de campanha e serão instruídos sobre o papel da vereança, a parte jurídica da campanha, legislação e a prestação de contas”, menciona.

O presidente do Pros diz que a legenda está reforçando a participação das mulheres na política. “O que vemos hoje é que a cota de 30% da participação das mulheres na chapa proporcional (a vereador/a) tem sido difícil de alcançar porque não se tem um trabalho antes, de base, de discussão da política junto com as mulheres. É importante trazê-las para o debate e este é o momento, não estamos em cima da eleição. Vamos dar condição às mulheres para serem candidatas. E até dos recursos do fundo eleitoral, 30% vão para as campanhas delas”, destaca.

 

Por ADI-PR

TOPO