Uningá Vestibular 2020
Esportes

Após críticas, Anderson desabafa: ‘Querem derrubar os ídolos’

Getty Images
Anderson Silva é acertado por Chris Weidman: erro técnico, segundo ele

A derrota para Chris Weidman e a perda do cinturão peso-médio do UFC serviram de grande aprendizado para Anderson Silva. Antes chamado de gênio, o Spider virou alvo fácil de críticas por causa de seu comportamento exageradamente provocador contra o americano, que culminou com um golpe certeiro no queixo e o revés por nocaute, algo até então impensável.

Anderson ficou chateado com a repercussão negativa da luta e principalmente com os comentários de que o duelo teria sido “comprado”, uma farsa com desfecho premeditado. Em entrevista ao “Fantástico” logo após o UFC 162, disse ter percebido que “os fãs não são tão fãs assim”. E a decepção só aumentou. Um mês e meio depois do ocorrido, em entrevista exclusiva ao Combate.com, ele afirmou que os brasileiros não lidam bem com a derrota de um ídolo:

Casa do eletricista TRATAM. E ACESS.

“Isso é um mal cultural dos brasileiros. Eles acreditam muito nos ídolos, mas depositam as frustrações neles. Quando eles não vão bem, querem derrubar os ídolos”, disse.

Das muitas críticas que recebeu de lutadores e treinadores, a que pareceu mais cabível para Spider foi a de Cesar Gracie, brasileiro técnico de Nick Diaz, Nate Diaz, Gilbert Melendez, Jake Shields, entre outros. Cesar disse que a partir de agora vamos ver um Anderson Silva mais humano, errando mais e até perdendo mais. O ex-campeão vê da mesma forma:

“Acho que, de todas as pessoas que falaram, ele foi o mais sensato. Sou um ser humano, estou suscetível a erros. Perder ou ganhar faz parte. É normal. Temos que encarar com naturalidade. Como eu falei, as pessoas criam expectativas em cima do ídolo e, quando esse ídolo não consegue desempenhar bem, as pessoas depositam as frustrações nele”, afirmou.

Anderson também mostrou respeito ao comentar as críticas que recebeu de Cesário Bezerra, que ele garante não ser seu treinador oficial há muito tempo. Ele falou ainda sobre a difícil relação com a fama, descartou nova luta contra Vitor Belfort, desconversou sobre enfrentar Ronaldo Jacaré e garantiu que não vai mudar seu estilo na revanche contra Weidman, marcada para 28 de dezembro, no UFC 168, em Las Vegas (EUA). 

TOPO