Copagril
Esportes

Com futebol de campeão, Inter sufoca o Chivas no México

O talismã Giuliano foi o autor do gol de empate do Inter. (AFP)

O Internacional foi ao M eacute;xico enfrentar n atilde;o apenas o forte Chivas, maior campe atilde;o mexicano de todos os tempos, mas tamb eacute;m a inflamada torcida rival e a preocupante grama sint eacute;tica do Est aacute;dio Omnilife. Mesmo assim, nada foi p aacute;reo para o envolvente toque de bola da equipe ga uacute;cha, que n atilde;o se intimidou com os fatores adversos, sufocou o time da casa e triunfou por 2 a 1.
Superior do come ccedil;o ao fim, o clube colorado partiu para cima do Chivas desde o princ iacute;pio do duelo. Arriscou chutes de fora da aacute;rea, carimbou a trave mais de uma vez e parecia atuar diante de seus pr oacute;prios torcedores.
Os n uacute;meros do embate comprovam a superioridade ga uacute;cha, que deu quase o qu aacute;druplo de finaliza ccedil; otilde;es do time mexicano. Foram 15 chutes a gol do Inter, contra apenas 4 do Guadalajara. Al eacute;m disso, o clube brasileiro trocou 201 passes a mais que o advers aacute;rio, com 487 a 286.
Encurralado, o Chivas parecia assustado. Nem a posse de bola a equipe mexicana conseguia manter, j aacute; que o time ga uacute;cho foi soberano no quesito com 55% do tempo com a bola nos p eacute;s. O ousado futebol colorado tamb eacute;m usou e abusou dos dribles: foram 13, contra apenas tr ecirc;s do clube local. Imponente, o Inter n atilde;o sossegou nem por um minuto. Apesar de ter sa iacute;do atr aacute;s no placar, foi para cima e virou o confronto em apenas quatro minutos, com Giuliano e Bol iacute;var. Os gols sa iacute;ram justamente da artimanha que o time colorado mais utilizou no embate: os cruzamentos na aacute;rea. O clube ga uacute;cho fez isso 21 vezes no jogo, enquanto o Chivas apenas nove.
Agora, um simples empate no jogo de volta tr aacute;s para o Rio Grande do Sul seu quarto t iacute;tulo de Libertadores, o segundo colorado. Gra ccedil;as agrave; soberba atua ccedil; atilde;o do Internacional na uacute;ltima quarta-feira (11) diante de 45 mil mexicanos ensandecidos, quando por 90 minutos o Omnilife foi Beira-Rio e Guadalajara virou Porto Alegre. O Inter ainda n atilde;o eacute; bi, mas jogou um futebol digno de campe atilde;o no M eacute;xico.

TOPO