Pref. MCR – OktoberFest MCR 2019
Geral

Ações marcam Dia de Combate à Violência Infanto-juvenil

Conselheira tutelar Beatriz Petry e presidente do Conselho Municipal do Direito da Criança e do Adolescente, Giliane Reuter: Todo tipo de violação do direito da criança e do adolescente deve ser denunciado (Foto: Maria Cristina Kunzler)

Para marcar a passagem do Dia Nacional de Combate agrave; Viol ecirc;ncia Infanto-juvenil, hoje (18), uma s eacute;rie de atividades ser aacute; desenvolvida ao longo do dia em Marechal C acirc;ndido Rondon, a partir de um trabalho coordenado pelo Conselho Municipal do Direito da Crian ccedil;a e do Adolescente (CMDCA) e Conselho Tutelar. O objetivo eacute; chamar aten ccedil; atilde;o das pessoas envolvidas com crian ccedil;as e adolescentes, seja de forma direta ou indireta, para assumirem seu papel na sociedade e n atilde;o se omitirem quando do conhecimento de algum tipo e viol ecirc;ncia, bem como fazer um trabalho continuado neste sentido. ldquo;Todo tipo de viola ccedil; atilde;o do direito da crian ccedil;a e do adolescente deve ser denunciado rdquo;, declaram a presidente do CMDCA, Giliane Reuter, e a conselheira tutelar Beatriz Petry.
De acordo com elas, hoje ser aacute; feito um trabalho especial junto a fam iacute;lias atendidas pelo programa Bolsa-Fam iacute;lia e equipes v atilde;o percorrer as 17 escolas municipais, os cinco centros municipais de educa ccedil; atilde;o infantil (Cmei rsquo;s), os 12 col eacute;gios estaduais, os tr ecirc;s col eacute;gios particulares e as escolinhas voltadas ao esporte e ao setor cultural para enfatizar a import acirc;ncia da den uacute;ncia. Em entidades que desenvolvem a ccedil; otilde;es com crian ccedil;as e adolescentes tamb eacute;m est aacute; programada atividade especial. ldquo;Tamb eacute;m ser aacute; feito um trabalho espec iacute;fico junto aos estabelecimentos que comercializam bebidas alco oacute;licas e cigarros, porque entendemos que a partir do consumo de drogas l iacute;citas eacute; que desencadeia em muitos jovens o uso de drogas il iacute;citas rdquo;, explica a conselheira tutelar.

Engajamento
Giliane e Beatriz salientam que com a campanha pretende-se engajar a sociedade para que se preocupe com as crian ccedil;as e os adolescentes. ldquo; Agrave;s vezes algu eacute;m v ecirc; algo de errado acontecendo, mas n atilde;o denuncia porque n atilde;o quer se envolver. Mas todos devem fiscalizar e denunciar rdquo;, argumentam.
Qualquer tipo de viol ecirc;ncia infanto-juvenil, como abuso sexual, explora ccedil; atilde;o sexual comercial, viol ecirc;ncia f iacute;sica ou psicol oacute;gica, explicam as rondonenses, pode – e deve – ser denunciada agrave;s autoridades competentes. Para isso, basta discar 181 ou 100, ou ainda entrar em contato com o Conselho Tutelar rondonense, pelo telefone (45) 3284-2273. ldquo;Toda den uacute;ncia eacute; feita no mais absoluto sigilo rdquo;, ressaltam.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

Bebidas e drogas
Conforme a presidente do CMDCA e a conselheira tutelar, um dos maiores problemas enfrentados atualmente no munic iacute;pio refere-se ao envolvimento de adolescentes com o consumo de bebidas alco oacute;licas e drogas. J aacute; com crian ccedil;as est aacute; ligado agrave; viol ecirc;ncia dom eacute;stica. ldquo;A pr oacute;pria viol ecirc;ncia de adultos contra crian ccedil;as e adolescentes eacute;, muitas vezes, resultado do uso de bebidas alco oacute;licas e drogas rdquo;, revelam.
Tem se intensificado em Marechal Rondon as blitze em eventos como bailes, no sentido de coibir a entrada de menores nestes locais e, especialmente, para coibir que os adolescentes consumam bebida alco oacute;lica. ldquo;Se a fiscaliza ccedil; atilde;o est aacute; acontecendo eacute; porque algu eacute;m n atilde;o est aacute; cumprindo com o seu papel, que eacute; o de n atilde;o comercializar bebidas para menores de 18 anos e n atilde;o deix aacute;-los consumir. Neste sentido tamb eacute;m precisamos do apoio dos pais rdquo;, explicam.
nbsp;
Trabalho diferenciado
Se h aacute; alguns anos as autoridades trabalhavam somente com o adolescente infrator, atualmente, com a implanta ccedil; atilde;o do Centro de Refer ecirc;ncia de Assist ecirc;ncia Social (Cras) no munic iacute;pio, est aacute; sendo poss iacute;vel fazer um trabalho diferenciado. ldquo;As fam iacute;lias vulner aacute;veis que j aacute; t ecirc;m problemas est atilde;o sendo trabalhadas no sentido de reverter isso, com aux iacute;lio de uma equipe formada por psic oacute;logos e assistentes sociais, a partir de a ccedil; otilde;es em grupo. Outro diferencial eacute; que hoje trabalhamos toda a fam iacute;lia do adolescente infrator, e n atilde;o somente com o menor rdquo;, concluem.

TOPO