Geral

Araucárias estão a três passos da extinção completa

Divulgação
Araucárias podem atingir até 40 metros de altura

No Dia Mundial de Proteção às Florestas, hoje (17), o Paraná recebe uma notícia nada boa. A  Lista Vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês), divulgou a lista de 27  árvores mais ameaçadas em todo o mundo.

A Araucária é a única indicada como criticamente ameaçada em lista internacional. A espécie já perdeu 97% da área original e a variabilidade genética está comprometida, segundo pesquisadores. A cobertura destas árvores correspondia a cerca de 40% da floresta ombrófila mista, que compõe o bioma da mata atlântica.

Casa do Eletricista – RETOMA

A Araucaria angustifolia, conhecida como pinheiro do Paraná, aparece também em  Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Encontrada em regiões com altitude a partir de 500 metros, a araucária pode atingir até 40 metros de altura e é responsável por proteger plantas menores, que precisam de áreas de sombra, e serve como base para a alimentação de roedores e pássaros.

No inverno, o pinhão —semente da araucária —é a única fonte de alimento para várias espécies e de renda de muitas famílias. A legislação ambiental brasileira proíbe o corte das araucárias, o que, segundo especialistas, ironicamente acaba prejudicando o desenvolvimento da espécie. Muitos produtores rurais cortam as araucárias quando pequenas, porque acham que não poderão usar a área do entorno se existir uma planta desta espécie.

As mudanças climáticas têm dificultado a sobrevivência das coníferas pelo mundo. Segundo o levantamento, poragas e doenças estão se tornando cada vez mais uma ameaça, especialmente em áreas que experimentam eventos climáticos extremos, como secas prolongadas, ou em áreas onde as temperaturas médias estão subindo.

No Brasil, no entanto, a principal causa do desmatamento no Brasil é a conversão das áreas de floresta em pastagens ou sua utilização para a agricultura ou plantio de florestas de pinus e eucaliptos para a indústria de papel e celulose, destaca Martinelli. O estudo completo está no site www.iucnredlist.org.

Secretaria do Meio Ambiente

O último diagnóstico oficial dos remanescentes de floresta com Araucária no Paraná, publicado em 2004, mostra a situação das florestas em estágio inicial de conservação totalizam 14,04% da área do bioma no Estado.

As florestas com araucárias em estágio médio de sucessão, que passaram por uma degradação intensa, mas ainda guardam um pouco da diversidade florística e de formas de vida, representam 14,47% da área do bioma no Estado. Já as florestas em estágio avançado de sucessão, que representam as florestas de maior diversidade, correspondem a apenas 0,8% da área total de florestas com Araucárias no Paraná.

TOPO