Brincando na Praça 2019
Geral

Gustavo Fruet rejeita aliança com o PMDB

O deputado federal Gustavo Fruet (PSDB) criticou na quarta-feira (25) a aproxima ccedil; atilde;o do PSDB com o PMDB do governador Roberto Requi atilde;o, com vistas a uma alian ccedil;a entre os dois partidos em torno da candidatura do prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), ao Governo do Estado em 2010. Fruet tamb eacute;m deixou claro que n atilde;o pretende abrir m atilde;o da vaga de candidato tucano ao Senado para facilitar a elei ccedil; atilde;o de Requi atilde;o para o cargo, em troca do apoio peemedebista a Richa, como estaria sendo negociado nos bastidores.
Segundo fontes dos dois partidos, para atrair o PMDB os tucanos estariam oferecendo a vaga de candidato a vice-governador na chapa do prefeito curitibano. E um ldquo;chap atilde;o rdquo; de candidatos a deputado estadual reunindo as duas legendas. O PMDB tem a maior bancada na Assembleia Legislativa, com 17 deputados, e corre o risco de n atilde;o reeleger boa parte dos atuais parlamentares em uma coliga ccedil; atilde;o proporcional.
O acordo incluiria ainda que os tucanos deixassem de lan ccedil;ar candidato ao Senado, para facilitar a elei ccedil; atilde;o de Requi atilde;o, que teme a concorr ecirc;ncia de Fruet – bem posicionado nas pesquisas – e da candidata do PT, Gleisi Hoffmann.
Para o deputado tucano, o PSDB corre o risco de perder identidade caso concorde com a alian ccedil;a, j aacute; que oficialmente o partido se colocou como oposi ccedil; atilde;o ao governo Requi atilde;o, desde que o governador passou a hostilizar Richa, depois que o prefeito apoiou a candidatura do senador Osmar Dias (PDT) no segundo turno da elei ccedil; atilde;o para o governo em 2006. O prefeito chegou, inclusive, a entrar com a ccedil; otilde;es por cal uacute;nia e difama ccedil; atilde;o contra Requi atilde;o depois que o governador lan ccedil;ou acusa ccedil; otilde;es contra seu irm atilde;o, o secret aacute;rio municipal da Administra ccedil; atilde;o, Jos eacute; Richa Filho.
Apesar dos conflitos, por eacute;m, tucanos e peemedebistas v ecirc;m negociando a alian ccedil;a, sob o argumento de que ela praticamente selaria a vit oacute;ria do prefeito na disputa pelo governo no ano que vem. Fruet confirma essas negocia ccedil; otilde;es, mas deixa claro n atilde;o ver com bons olhos a aproxima ccedil; atilde;o. ldquo;Muitos abertamente defendem uma aproxima ccedil; atilde;o com o PSDB para 2010. Entendo que n atilde;o h aacute; como evitar di aacute;logo nesse momento, mas sou contra rdquo;, disse. ldquo;Defendo que temos que ter muito cuidado nesse encaminhamento, pois cada vez mais elei ccedil; atilde;o ser aacute; elei ccedil; atilde;o de identidade. Ser aacute; elei ccedil; atilde;o de firmeza de posi ccedil; atilde;o rdquo;, apontou.
O deputado lembrou que Richa vem sendo apontado como favorito justamente por representar a renova ccedil; atilde;o na pol iacute;tica paranaense. ldquo;Essa elei ccedil; atilde;o tem o apelo pela mudan ccedil;a e isso (a alian ccedil;a com o PMDB de Requi atilde;o) pode dar um efeito contr aacute;rio. Como diz o ditado, lsquo;quando a esperteza eacute; muito grande vira bicho e come o esperto rsquo; rdquo;, avaliou. Para Fruet, uma coliga ccedil; atilde;o com o partido que comanda o atual governo colocaria por terra o discurso tucano na campanha. ldquo;N oacute;s temos que ter clareza em rela ccedil; atilde;o ao projeto de mudan ccedil;a para o Paran aacute; e para o Brasil rdquo;, cobrou. O tucano reafirmou, ainda, a inten ccedil; atilde;o de concorrer ao Senado. ldquo;Alguns candidatos querem mam atilde;o com a ccedil; uacute;car na elei ccedil; atilde;o rdquo;, disse. ldquo;Querer reserva de mercado nesse momento eacute; acabar dificultando o debate rdquo;, disse.

TOPO