Ford Show Rural
Ecoville – Maior rede de limpeza
Geral

Pato Bragado: Inaugurada unidade de referência regional em fitoterapia

O setor de medicina e, mais especificamente, o tratamento de sa uacute;de por meio de plantas medicinais ganharam ontem (30) uma nova realidade com a inaugura ccedil; atilde;o da Unidade de Produ ccedil; atilde;o de Extrato Seco de Drogas Vegetais, em Pato Bragado. Com capacidade de produ ccedil; atilde;o de 96 toneladas ao m ecirc;s, a unidade ir aacute; fornecer extratos de plantas, atendendo a ind uacute;strias aliment iacute;cia e farmac ecirc;utica.
Conforme o presidente da Sustentec (Produtores Associados para o Desenvolvimento de Tecnologias Sustent aacute;veis), Euclides Lara Cardoso Junior, a unidade foi criada para agregar valor agrave; produ ccedil; atilde;o de esp eacute;cies medicinais e fomentar arranjos produtivos locais. ldquo;O que se pretende eacute; valorizar o potencial das esp eacute;cies medicinais nativas, comprovar que o uso de plantas medicinais pode ser uma alternativa econ ocirc;mica vi aacute;vel para a agricultura familiar, desenvolver tecnologia de medicamentos fitoter aacute;picos a partir dos esfor ccedil;os pr oacute;prios da comunidade cient iacute;fica e, principalmente, provar que o uso de medicamentos fitoter aacute;picos pode ser uma alternativa terap ecirc;utica confi aacute;vel rdquo;, afirma.
De acordo com o gestor do Projeto de Plantas Medicinais da Itaipu Binacional, Altevir Zardinello, a entrega da unidade representa uma nova fase para a regi atilde;o. No in iacute;cio do projeto, h aacute; cerca de sete anos, se constatava que 82% da popula ccedil; atilde;o dos munic iacute;pios da Bacia do Paran aacute; 3 fazia uso de plantas medicinais, no entanto, somente em torno de 3% era por indica ccedil; atilde;o de um profissional de sa uacute;de. ldquo;Em torno de 66% tomavam por tradi ccedil; atilde;o de fam iacute;lia. Mas o mais triste era que 18% das pessoas tomavam ch aacute;s de plantas medicinais e acreditavam que n atilde;o fazia mal, no entanto, toda planta tem contraindica ccedil; atilde;o rdquo;, alerta.
Com a unidade de extratos, as propriedades terap ecirc;uticas das plantas medicinais poder atilde;o ser aproveitadas de forma mais segura pelas comunidades. ldquo;Agora ser aacute; poss iacute;vel quantificar o que ser aacute; ingerido, pois ser aacute; administrado somente o n uacute;mero de miligramas do princ iacute;pio ativo da planta que o m eacute;dico receitar. Al eacute;m de ser um tratamento mais facilitado para o consumidor, ser aacute; mais seguro para o profissional de sa uacute;de rdquo;, destaca.
Do ponto de vista dele, a a ccedil; atilde;o consiste em um resgate do uso de plantas medicinais e a coloca ccedil; atilde;o dele em um patamar de qualidade e de quantidade, para que a popula ccedil; atilde;o possa tomar quando precisa.

Produ ccedil; atilde;o
Atualmente, h aacute; 16 produtores na regi atilde;o que cultivam plantas medicinais para fornecimento agrave; unidade, uma vez que h aacute; necessidade da propriedade ser 100% org acirc;nica. ldquo;A nossa meta eacute; chegar a contar com 90 produtores rdquo;, diz.
A maior dificuldade atual eacute; encontrar muda para repassar aos produtores. ldquo;Itaipu produz hoje 60 mil mudas por ano, mais 40 mil produzidas em Vera Cruz do Oeste, totalizam 100 mil mudas por ano, enquanto a demanda eacute; de 500 mil mudas por ano rdquo;, garante Altevir.
Um dos cuidados que est aacute; sendo tomado eacute; que eacute; preciso produzir mudas que tenham demanda. ldquo;Quatro plantas t ecirc;m mercado grande: espinheira-santa (gastrite), maracuj aacute; importado (calmante), guaco (gripes, resfriados) e alcachofra (colesterol) rdquo;, menciona.

Casa do eletricista MINIESCAVADEIRA

Receita
O interesse sobre os fitoter aacute;picos dentre os profissionais de sa uacute;de da regi atilde;o tem sido crescente, segundo nota Altevir. ldquo;No in iacute;cio do projeto somente 35 profissionais participaram do curso, j aacute; nos mais recentes chegamos a reunir 130 prescritores (sic) m eacute;dicos, nutricionistas, dentistas rdquo;, exp otilde;e.
A unidade de Pato Bragado, que vai atender os demais munic iacute;pios da regi atilde;o, representa agrave;s popula ccedil; otilde;es um maior acesso ao tratamento fitoter aacute;pico, produtos naturais, al eacute;m de serem produtos com custo baixo para os munic iacute;pios. ldquo;O agricultor vai produzir a planta, a Sustentec vai comprar e os munic iacute;pios ir atilde;o distribuir em postos de sa uacute;de rdquo;, informa.

Pela expans atilde;o
Segundo o diretor de Coordena ccedil; atilde;o da Itaipu Binacional, Nelton Friedrich, que prestigiou a inaugura ccedil; atilde;o, a Unidade de Produ ccedil; atilde;o de Extrato Seco de Drogas Vegetais de Pato Bragado significa um marco para a regi atilde;o no que tange a novas op ccedil; otilde;es, n atilde;o s oacute; de neg oacute;cios econ ocirc;micos, mas tamb eacute;m cultural, ambiental e at eacute; pol iacute;tico. ldquo;Esta unidade vai significar um marco para que possamos promover um desenvolvimento sustent aacute;vel muito mais saud aacute;vel rdquo;, manifestou. Ele diz que a iniciativa n atilde;o eacute; m eacute;rito somente da Itaipu ou do munic iacute;pio de Pato Bragado, mas representa os esfor ccedil;os de um cons oacute;rcio de 29 munic iacute;pios e milhares de pessoas envolvidas.
Por ocasi atilde;o da inaugura ccedil; atilde;o, a prefeita Normilda Koehler parabenizou a diretoria da Itaipu pela vis atilde;o voltada agrave; preserva ccedil; atilde;o do planeta e deixou um pedido ao Minist eacute;rio da Sa uacute;de. ldquo;Gostaria de solicitar aos oacute;rg atilde;os competentes, principalmente o Minist eacute;rio da Sa uacute;de, profissionais da sa uacute;de com o intuito de incentivar o uso de fitoter aacute;picos para que possamos usar a demanda produzida nesta unidade. Solicitamos que atrav eacute;s do SUS (Sistema Uacute;nico de Sa uacute;de) e dos PSFs (programas Sa uacute;de da Fam iacute;lia) sejam implantados em todos os munic iacute;pios o uso de fitoter aacute;picos rdquo;.
Conforme Normilda, a expectativa eacute; de que essa unidade possa produzir extratos para todo Brasil e com esta instala ccedil; atilde;o esperamos a gera ccedil; atilde;o de novos empregos e renda para o munic iacute;pio. ldquo;Estamos incentivando jovens na busca de qualifica ccedil; atilde;o para que futuramente possam estar empregados no setor rdquo;, declara.
A concretiza ccedil; atilde;o da unidade de produ ccedil; atilde;o foi realizada a partir de parceria da administra ccedil; atilde;o de Pato Bragado, Itaipu Binacional, com o apoio do Minist eacute;rio da Ci ecirc;ncia e da Tecnologia, atrav eacute;s de emenda parlamentar do deputado federal Dilceu Sperafico e com o trabalho e tecnologia desenvolvidos pela Sustentec.

Semin aacute;rio
Fazendo parte do projeto, o munic iacute;pio de Pato Bragado ainda sediou ontem o 9 ordm; Semin aacute;rio Regional de Plantas Medicinais, com o tema Pol iacute;tica Nacional de Plantas Medicinais e Fitoter aacute;picos e o Projeto Plantas Medicinais: Resultados Alcan ccedil;ados, Impactos na Cadeia Produtiva, Desafios e Perspectivas, realizado no audit oacute;rio do Centro Cultural.
Durante o evento, houve relatos de experi ecirc;ncias positivas com fitoter aacute;picos e plantas medicinais na sa uacute;de individual e coletiva; em seguida o lan ccedil;amento do livro de Plantas medicinais nativas dos remanescentes florestais do Oeste do Paran aacute;; e posteriormente a entrega dos certificados para os participantes do curso de fitoterapia para profissionais de sa uacute;de.

Hist oacute;rico
O projeto de Plantas Medicinais come ccedil;ou em 2003, a partir da identifica ccedil; atilde;o do n uacute;mero de pessoas que trabalhavam com plantas medicinais na regi atilde;o, tais como universidades, ONGs, associa ccedil; otilde;es de m atilde;es, pastorais, totalizando 21 entidades. Foi criado um comit ecirc; gestor para gerenciar esse trabalho e para a realiza ccedil; atilde;o de um diagn oacute;stico regional. Em raz atilde;o do que foi levantado, constatou-se o uso indiscriminado dos ch aacute;s, o que motivou a realiza ccedil; atilde;o de 4,5 mil capacita ccedil; otilde;es, com palestras, cursos b aacute;sicos para membros de pastorais e profissionais de sa uacute;de. ldquo;J aacute; temos mais de um milh atilde;o de pessoas que ouviram falar de plantas medicinais, por meio dos cursos e semin aacute;rios rdquo;, conclui Altevir.

lt;galeria / gt;

TOPO