Geral

PSDB quer oferecer vaga ao Senado para Osmar Dias

Enquanto planeja a pr oacute;xima fase da pr eacute;-campanha do prefeito de Curitiba, Beto Richa, ao governo, o PSDB ainda tenta atrair o senador Osmar Dias (PDT) para um acordo em que oferece a vaga de candidato ao Senado na chapa tucana.
O presidente nacional do PSDB, senador S eacute;rgio Guerra, esteve na quarta-feira (24) no gabinete do senador pedetista, em Bras iacute;lia, e o presidente estadual do PSDB, deputado Valdir Rossoni, declarou que ainda v ecirc; o que chamou de ldquo;janela rdquo; para uma composi ccedil; atilde;o.
Mas o senador Osmar Dias n atilde;o aparenta disposi ccedil; atilde;o para conversar nestes termos com os tucanos. ldquo;Se o presidente do PSDB acha que tem uma brecha para conversar, s oacute; se for para me propor apoio. N atilde;o vejo nenhuma outra brecha rdquo;, reagiu o senador, que viu os tucanos darem mais um passo na candidatura pr oacute;pria ao apresentarem a pr eacute;-candidatura do prefeito de Curitiba, Beto Richa, em reuni atilde;o na segunda-feira (22).
Ele tamb eacute;m minimizou a visita de Guerra ao seu gabinete. ldquo;Foi um dos dez senadores que passaram por aqui hoje. Ele tomou s oacute; um caf eacute; comigo. N atilde;o teve nenhuma conversa pol iacute;tica. N atilde;o h aacute; mais o que falar rdquo;, disse Osmar, que discute uma alian ccedil;a com o PT do Paran aacute;.
O pedetista esperava ter o apoio do PSDB a sua candidatura ao governo este ano, reproduzindo o mesmo leque de partidos que sustentaram a candidatura agrave; reelei ccedil; atilde;o de Beto em 2008. ldquo;A dificuldade eacute; que o candidato do PDT eacute; candidato desde 2008. E o candidato do PSDB n atilde;o era candidato em 2008 rdquo;, comentou o senador.

Avalia ccedil; otilde;es
Os aliados do senador, como o l iacute;der do PDT na Assembleia Legislativa, Luiz Carlos Martins, s atilde;o menos incisivos que o senador. ldquo;Um dos dois teria que deixar de ser candidato ao governo. Como n atilde;o existe essa disposi ccedil; atilde;o por parte de nenhum deles… rdquo;, observou o deputado.
Se em 2006 a d uacute;vida era saber se Osmar seria candidato ao governo, agora, a pergunta eacute; quais ser atilde;o seus aliados, afirmou o l iacute;der da bancada pedetista. Citado pelo presidente estadual do PSDB, em seu twitter, como um dos que se empenham em juntar novamente pedetistas e tucanos, o presidente estadual do PDT, Augustinho Zucchi, disse que o partido n atilde;o recua da candidatura de Osmar. ldquo;Se o PSDB quer conversar conosco eacute; porque pensa que pode apoiar o senador para o governo rdquo;, disse.
J aacute; o presidente do PSDB preferiu n atilde;o revelar o que sustenta sua avalia ccedil; atilde;o de que ainda eacute; poss iacute;vel compor com Osmar. Ao inv eacute;s disso, optou por fazer uma compara ccedil; atilde;o. Disse que h aacute; muito mais possibilidades de o PSDB ter o PDT no seu palanque do que o PMDB, que tem um pr eacute;-candidato ao governo, o vice-governador Orlando Pessuti, com fr aacute;gil desempenho nas pesquisas de inten ccedil; otilde;es de votos e abriga um grupo que j aacute; negocia com os tucanos o apoio ao prefeito de Curitiba. ldquo;Nosso antagonismo com o PMDB eacute; maior do que com o PDT rdquo;, mencionou.

Casa do Eletricista – NÃO PAGUE AR
TOPO