Marechal Tratativas retomadas

Marechal Rondon pode ganhar cursos do Instituto Federal do Paraná

Prefeito de Marechal Rondon, Marcio Rauber, e a presidente da Acimacar, Carla Rieger, estiveram reunidos com o reitor do IFPR, Odacir Zanatta, em Curitiba (Foto: Divulgação)

A implantação de uma instituição de ensino federal em Marechal Cândido Rondon voltou ao radar de autoridades e lideranças municipais. Trata-se de uma bandeira antiga, mas que há aproximadamente seis anos não prosperou. O assunto não ficou totalmente adormecido neste período, mas também não tramitou como desejado. Agora, a expectativa é de que haja um avanço neste processo.

Na última semana, a presidente da Associação Comercial e Empresarial (Acimacar), Carla Rieger, e o prefeito Marcio Rauber estiveram em Curitiba, onde se reuniram com o reitor do Instituto Federal do Paraná (IFPR), Odacir Antonio Zanatta, acompanhados do diretor-geral da Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística (Seil), José Brustolin Neto, para tratar do assunto.

[ Publicidade ]
Casa do Eletricista ESCAVAÇÃO 2022

A Acimacar encampou nos últimos anos, como uma de suas bandeiras, a vinda de uma instituição federal de ensino para Marechal Rondon. Conforme a dirigente da entidade, as últimas tratativas que a Associação Comercial fez ocorreram nos anos de 2016 e 2017, inclusive com a elaboração de um estudo. “As mudanças logo após, no cenário político, acabaram paralisando essas tratativas e depois vivemos os dois anos pandêmicos. Tudo ficou muito parado. Este ano recebemos a visita do então secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex (deputado federal), na Associação Comercial, e fizemos o pedido das nossas demandas. Uma delas foi a questão de uma instituição de ensino federal. Ele ficou de providenciar essa reunião, que aconteceu agora em Curitiba. Acredito que existem grandes chances e estamos muito esperançosos de que vamos conseguir essas tratativas. Foi uma reunião muito produtiva”, avalia Carla, em entrevista ao Jornal O Presente.

[ Publicidade ]
Nied – Junho F

Segundo ela, a próxima etapa será um estudo de viabilidade – a instituição já deu o aval para iniciá-lo. “Vai acontecer um estudo de viabilidade da implantação do IFPR. Após isso há os trâmites legais e toda burocracia necessária para termos em Marechal Rondon uma instituição federal”, comenta a presidente da Acimacar.

A dirigente reforça que trata-se de uma demanda de suma importância para o município. “A educação em si é algo muito importante e é a base de tudo e, principalmente, permitir ao rondonense estudar em Marechal Rondon, termos mais possibilidades de cursos. Dentro desta tratativa e os trabalhos para viabilidade de implantação do instituto serão levantadas quais demandas de cursos. A Associação Comercial é somente uma apoiadora e a diretoria vê isso com muitos bons olhos. Somos parceiros desta demanda. É um momento muito especial para Marechal Rondon”, analisa.

 

Município parceiro

O prefeito Marcio Rauber, por sua vez, avalia a reunião como extremamente produtiva. “O resultado do encontro foi um expediente encaminhado no dia seguinte à reunião. Cheguei de viagem e imediatamente encaminhei o expediente pedindo para que o Instituto Federal do Paraná fizesse o estudo de viabilidade em Marechal Cândido Rondon. Para isso há a necessidade de uma articulação em nível federal para que se coloque no orçamento de 2023 os recursos necessários para a implantação dos cursos, na sua maioria com despesa de folha, pois em princípio o IFPR traz professores de outros campi já estabelecidos, como por exemplo de Cascavel. O objetivo é que este Instituto aqui fique vinculado ao campus de Cascavel. A conversa foi produtiva e tenho esperanças. Estou bastante otimista e colocamos o município à disposição para eventual parceria necessária, dentro dos dispositivos legais, para que de fato consigamos trazer para Marechal Rondon mais uma instituição de ensino e, desta vez, de nível federal”, destaca.

Prefeito de Marechal Rondon, Marcio Rauber, e a presidente da Acimacar, Carla Rieger, estiveram reunidos com o reitor do IFPR, Odacir Zanatta, em Curitiba (Foto: Divulgação)

 

Recursos garantidos

O pedido para implantação de uma entidade federal de ensino em Marechal Rondon foi apresentada pela Acimacar ao deputado federal Sandro Alex, no período em que ele ocupou a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística. Por isso, quem lhe representou no encontro foi o atual diretor-geral da Seil, José Brustolin Neto.

Ao O Presente, o parlamentar explicou que foi o autor da proposta que abriu a possibilidade de ampliação dos institutos federais por meio da criação de centros de referência. “Esses centros de referência têm possibilidade de expandir a instituição federal. Foi uma ideia que levei ao Ministério ainda no mandato passado, porque tinha a necessidade e ficava em meio ao debate no Congresso”, relembra.

Para Sandro Alex, a discussão de abertura de novos campi se tornou muito política. Com os centros de referência é possível mensurar a demanda por meio de embasamento técnico para, só então, tomar a decisão. “Às vezes eram abertos campi em cidades que não tinham nem demandas em detrimento de outras”, diz, detalhando que hoje o sistema mudou: “Abre-se o centro de referência e os professores lotados são de um campus próximo. Confirmada a demanda, aí cria-se um novo campus. Desta forma é possível ter aulas mais rápidas do que precisar aprovar no orçamento, passar pela Câmara dos Deputados e pelo Senado, ainda mais com a limitação orçamentária”, expõe.

O custeio dos professores é feito por meio da destinação de emenda parlamentar, cita o deputado. “Preciso esperar o IFPR finalizar o plano de expansão e o estudo de viabilidade. Confirmando a viabilidade, destino o recurso através de emenda e o Instituto começa a marcar os testes seletivos e as aulas. É uma questão agora apenas de tempo, porque não tenho dúvidas que teremos um estudo viável. Vai ser viável e vou colocar os recursos. Já conversei e negociei com o reitor Zanatta. É um compromisso que assumi”, garante Sandro Alex.

 

Cursos para Marechal Rondon

O deputado federal salienta que no estudo de viabilidade é que serão definidos quais cursos podem ser destinados a Marechal Rondon. “O município está agregando valor em infraestrutura, que é determinante para a industrialização, mas o outro fator preponderante para a industrialização é a mão de obra qualificada. São os dois pilares para que o município possa ter emprego e renda. E são os dois pontos em que estou muito focado no município hoje. Estou trabalhando ao longo do meu mandato como deputado e como então secretário de Estado a ampliação da infraestrutura do município. E agora, de volta à Câmara, estou tendo a oportunidade de investir na educação e na qualificação. São dois pilares que estou me dedicando”, declara.

Conforme o parlamentar, o estudo deve ser concluído ainda no primeiro semestre deste ano. “No segundo semestre devemos bater o martelo para que, de repente, no início de 2023 já tenha a instalação do IFPR”, menciona.

 

Deputado federal Sandro Alex “No segundo semestre devemos bater o martelo para que, de repente, no início de 2023 já tenha a instalação do IFPR” (Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)

 

O Presente

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

 

TOPO