Marechal Viabilidade e necessidade

Marechal Rondon recebe parecer favorável à implementação da Delegacia da Mulher

Vereador Arion Nasihgil: “A nossa luta junto ao Governo do Estado está se tornando frutífera e acredito que em breve será possível concretizar o nosso desejo de trazer para Marechal Rondon uma Delegacia da Mulher. Vamos continuar trabalhando e cobrando” (Foto: Cristiano Viteck)

Após pedido realizado pelo vereador rondonense Arion Nasihgil, na quarta-feira (29), o delegado interino da Coordenadoria das Delegacias da Mulher da Divisão de Polícia Especializada da Polícia Civil do Paraná, Alexandre Macorin de Lima, emitiu parecer favorável à implementação de uma Delegacia da Mulher em Marechal Cândido Rondon.

O órgão se dedica inteiramente à prevenção, combate e repreensão a todo tipo de violência contra a mulher, seja ela doméstica, familiar, sexual, física, psicológica, entre outras.

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

 

TRÂMITES LEGAIS

O ofício havia sido entregue inicialmente ao secretário estadual de Segurança Pública, coronel Romulo Marinho Soares, no início do mês de junho. Seguindo determinações da Casa Civil, posteriormente o Governo do Estado instaurou um protocolo administrativo, a fim de checar a viabilidade e a necessidade do pedido.

De acordo com os estudos técnicos e mapas da violência consultados, o Estado reconhece que os casos de violência contra a mulher no município rondonense, a partir da observação dos boletins de ocorrência, confirmam a validade do pedido. Os dados mostram que desde o ano de 2016 o número de ocorrências desse tipo se manteve estabilizado, quando deveria diminuir.

 

PRÓXIMOS PASSOS

Uma necessidade, de acordo com o delegado Macorin, é de que recursos mínimos sejam disponibilizados para o bom funcionamento do órgão, seja por meio da ampliação na contratação de profissionais de segurança pelo Estado, seja por convênio com a administração municipal.

Nasihgil diz que espera que haja suporte por parte da municipalidade. “A implementação de uma Delegacia da Mulher, que é um instrumento previsto na Lei Maria da Penha, é um processo administrativo extenso e burocrático, mas o mais importante que é o reconhecimento pelo Estado da necessidade dessa unidade em Marechal Rondon nós obtivemos. Nossa luta continua até que isso se concretize”, salienta.

Em relação aos próximos passos para tornar a Delegacia da Mulher uma realidade, o vereador informa que se trata da definição do espaço físico, que pode ser destinado pela prefeitura ou pelo Estado. “Além disso, há a questão da contratação dos profissionais que pode acontecer através do concurso estadual, que está suspenso agora e deve ser retomado após a pandemia para contratar mais profissionais da Polícia Civil, ou pela prefeitura, que, mediante convênio com o Estado, pode ceder servidores”, expõe, acrescentando que por enquanto ainda não há previsões concretas. “Por mais que o Poder Público local não esteja tão preocupado em trazer a Delegacia da Mulher para cá, a nossa luta junto ao Governo do Estado está se tornando frutífera e eu acredito que em breve deve se concretizar. Vamos continuar trabalhando, vamos continuar cobrando o Governo do Estado para que, em breve, Marechal Rondon venha a receber essa unidade especializada e para as nossas mulheres serem ainda mais amparadas e protegidas”, enaltece.

 

O Presente

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO