Marechal Andamento do processo

Na volta das férias, Judiciário rondonense deve retomar caso Edna Storari

(Foto: Divulgação)

O caso envolvendo o desaparecimento da rondonense Edna Storari terá desdobramentos tão logo sejam retomados os trabalhos do Poder Judiciário, com o fim das férias forenses.

No final do ano passado, o delegado de Polícia Civil de Marechal Cândido Rondon, Rodrigo Baptista Santos, disse que o sumiço da empresária só foi informado uma semana após ela supostamente ter sido morta em 19 de setembro, o que acabou prejudicando o levantamento de provas. As declarações do delegado foram dadas em coletiva de imprensa.

Casa do Eletricista VERÃO 2022

Na ocasião, o delegado afirmou que, um dia antes da suposta morte, a empresária de 56 anos fez contato com uma amiga pelo WhatsApp, a quem contou sobre uma briga com o marido e também teria relatado que pretendia se separar. No dia 20 pela manhã ela fez um último contato com a amiga e, desde então, não foi mais vista.

Nied 2022 – Padrão

No transcorrer do inquérito policial, foram presos:

CombateMax – Normal

Luiz Carlos Rissato, marido da vítima; Guilherme Henrique Rissato e Amábile Carla Vieira Rissato, filhos de Luiz; e Luan Rafael Ferreira de Lima, marido de Amábile.

Concluído o inquérito, o delegado encaminhou a peça para o Ministério Público e todos os envolvidos foram denunciados.

Recentemente houve troca de advogados que defendem os réus.

O advogado Pablo Lorenzatto defendia Amábile Vieira Risssato, Luan Rafael Ferreira de Lima e Luiz Carlos Mendes Rissato.

Hoje atuam na defesa de Amabile os advogados Sergio Antonio de Oliveira e Silvia Garcia da Silva.

O advogado Pablo Lorenzatto defende Luiz Carlos Mendes Rissato.

A defesa de Luan Rafael Ferreira de Lima e Guilherme Rissato passou a ser exercida pelo advogado Antonio Marcos de Aguiar.

De acordo com informações, a situação hoje do processo é a seguinte: os quatro réus foram denunciados e devidamente citados.

Luan Rafael Ferreira de Lima, Amabile Carla Vieira Rissato e Guilherme Rissato já apresentaram defesas ao juízo criminal da comarca. O único que ainda não apresentou defesa é Luiz Carlos Mendes Rissato.

Após a apresentação de todas as defesas o juiz responsável pela Vara Criminal marcará as audiências para ouvir testemunhas de defesa e acusação.

Depois disso ocorrerá o interrogatório dos denunciados, em juízo.

O réu Guilherme Rissato tem um habeas corpus pendente de julgamento de mérito no Tribunal de Justiça do Estado do Paraná.

Já com relação ao réu Luan Rafael Ferreira de Lima, um pedido de habeas corpus também será protocolado nos próximos dias.

Em relação à localização do corpo da empresária Edna Storari as investigações continuam.

 

O Presente com PM

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

Grupo Costa Oeste 2021
TOPO