Municípios Dengue

Pato Bragado terá arrastão contra o Aedes aegypti nesta quinta e sexta-feira

(Foto: Marili Koehler)

Em muitas cidades da região e do Paraná por extensão a dengue se alastra assustadoramente. Em Pato Bragado, considerando que o município tem muitas notificações e caminha para a decretação de “estado de epidemia”, a administração municipal programou para esta quinta-feira (27), às 07h30, uma mobilização em frente à prefeitura que contará com a participação de servidores públicos de todas as secretarias. Será formada uma grande frente de trabalho pela eliminação dos focos do mosquito Aedes aegypti, nesse dia e também na sexta-feira (28).

Na última sexta-feira (21), o prefeito Leomar Rohden (Mano), o vice-prefeito Dirceu Anderle, o secretário de Saúde, John Nodari, secretários, diretores do setor de saúde e agentes de endemias se reuniram na prefeitura para traçar o plano de ação.

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

Agentes de endemias consideraram a situação alarmante e mesmo com todo trabalho de conscientização com os moradores e recolha de entulhos realizado nas residências, inclusive muitas horas de pulverização de inseticida, a incidência de casos tem crescido rapidamente.

 

DADOS

Conforme a diretora do Departamento de Atenção Básica, Simoni Tornquist, o município conta com 80 notificações da doença e oito casos confirmados. O número de pessoas com o problema, segundo ela, é maior, pois muitos exames ainda estão no Laboratório Central do Paraná (Lacen), vinculado à Secretaria do Estado de Saúde. “De um dia para o outro podemos ter os resultados das amostras de sangue e aí sim, ao que tudo indica, se tivermos 16 casos autóctones confirmados, contaremos com uma epidemia no município”, pontua.

 

SAÚDE PÚBLICA

Diante do cenário que se modifica a cada dia, com mais casos positivos, o prefeito cobrou dos secretários atitudes como a de verificar detalhadamente seus setores, principalmente calhas, fossas e ralos e, da mesma forma, dos servidores para que fiscalizem suas propriedades. O gestor pede à população para que realize uma faxina na casa e quintais, depositando tudo que não serve mais e que acumula água, facilitando, assim, o trabalho das pessoas desse grande mutirão pela vida.

Mano salienta que, além dos locais já mencionados, plantas, vasilhas de pets, lonas, cisternas, tonéis, tanques de água e até mesmo os recipientes para recolha de água da chuva devem ser bem tampados ou eliminados.

Ele destaca que o uso do repelente não exclui a necessidade de manter a casa limpa e livre de criadouros, mas é uma medida extra para se proteger dos mosquitos.

 

Com assessoria

 

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO