Paraná

Justiça determina que MP retome investigações de acidente com 21 mortos

A Justiça determinou que o Ministério Público (MP) retome as investigações sobre o acidente que matou 21 pessoas e deixou outras dez feridas, entre Cafezal do Sul e Iporã, em 31 de outubro de 2016. A batida entre um caminhão-tanque e um ônibus da Prefeitura de Altônia aconteceu na PR-323.

As investigações do caso foram conduzidas pela Polícia Civil de Iporã. A perícia apontou que o caminhão invadiu a pista contrária e que os veículos bateram de frente. Com base em depoimentos e no resultado da perícia, a polícia civil concluiu que o motorista do caminhão, que morreu no acidente, foi responsável pela batida.

Casa do Eletricista – RETOMA

O inquérito, então, foi encaminhado ao Ministério Público, que pediu o arquivamento da investigação. Segundo a promotoria, como o motorista apontado como responsável pelo acidente não sobreviveu, a possibilidade de punição foi extinta.

Porém, às vèsperas de completar um ano do caso, a justiça negou o pedido feito pelo MP. Na decisão, o juiz José Guilherme Xavier Milanezi, da Vara Criminal de Iporã, afirmou que os fatos não foram suficientemente esclarecidos.

Segundo o juiz, surgiram dúvidas sobre a dinâmica do acidente e de quem, de fato, foi o responsável. O juiz informou que o processo deve ser novamente aberto para responder as perguntas.

O advogado da empresa Latco, dona do caminhão, não quis se manifestar sobre o caso. Ederson Ribas, advogado que representa o motorista do ônibus não comentou a decisão de prosseguir com as investigações.

A Prefeitura de Altônia não comentou a decisão da Justiça de manter as investigações. O município informou que os feridos e as famílias dos mortos foram indenizados. Sobre os processos cíveis com pedidos de indenização, que ainda seguem em andamento, a prefeitura disse que baseia sua defesa no laudo da polícia civil, que aponta o motorista do caminhão como responsável pelo acidente.

 

Com informações da RPC TV

TOPO