Copagril
Paraná

Laudo com causa da morte de Maria Luísa deve ficar pronto em até 60 dias

 

Reprodução/Facebook

 

A família da acadêmica Maria Luísa Moia Kamei deverá esperar entre 40 e 60 dias para saber a causa da morte da jovem. Foi o que informou, na noite deste sábado (29),  o IML (Instituto Médico Legal) de Curitiba.

Após mais de um mês internada no Hospital Evangélico de Curitiba, a jovem morreu na manhã deste sábado, por volta das 11h. Ela estava internada no hospital referência no tratamento de queimados desde o dia 13 de março, dois dias após ser vítima da explosão que ocorreu no apartamento em que ela vivia em um prédio na Avenida da FAG.

Casa do eletricista TRATAM. E ACESS.

A autópsia teve fim por volta das 20h30 e o médico legista pediu exames complementares que devem indicar a causa da morte. Normalmente, os exames ficam prontos em um prazo de dois meses.

A jovem teve 80% do corpo queimado e, no período em que esteve internada, teve diversas complicações em decorrência das queimaduras.

A família de Maria Luísa é de Maringá, cidade onde ela deve ser sepultada.

TOPO