Policial

Celulares e buchas de cocaína são encontradas no cadeião

A Pol iacute;cia Civil de Marechal C acirc;ndido Rondon realizou na manh atilde; de ontem (11), com apoio da Pol iacute;cia Militar, uma varredura no cadei atilde;o. Foi a primeira vistoria realizada ap oacute;s a constru ccedil; atilde;o do ldquo;gaiol atilde;o rdquo; no p aacute;tio da Delegacia. Os presos foram removidos para o gaiol atilde;o, onde ficaram sendo vigiados pelos policiais militares enquanto os servidores da delegacia faziam a varredura. Foram encontradas na cadeia, constru iacute;da para cerca de 20 pessoas, mas que em m eacute;dia abriga o s ecirc;xtuplo desta capacidade, 11 celulares, 46 buchas de coca iacute;na e duas brocas, dentre outros objetos.
Conforme o delegado Ary Nunes Pereira, a inten ccedil; atilde;o eacute; realizar, agora com a facilidade proporcionada com o gaiol atilde;o, at eacute; semanalmente as vistorias. ldquo;Temos condi ccedil; otilde;es de tirar todos os presos do cadei atilde;o e coloc aacute;-los no p aacute;tio, sob vig iacute;lia da Pol iacute;cia Militar. Procuramos buracos, estoques, drogas e celulares. O resultado dessa vistoria foi excelente, numa demonstra ccedil; atilde;o do que podemos fazer daqui pra frente rdquo;, comentou.

Droga
Sobre a quantidade de droga, o delegado acredita que era apenas para uso dos presos, n atilde;o para o com eacute;rcio. Ele comenta que eacute; f aacute;cil mulheres levarem droga, em suas partes iacute;ntimas, para os presos. Com as vistorias constantes no cadei atilde;o, o policial acredita que esse tipo de tr aacute;fico diminua.
A propriedade da droga e dos celulares ser aacute; dif iacute;cil apurar, mas o delegado entende que o importante foi a retirada do produtos e dos objetos do cadei atilde;o. ldquo;V aacute;rias pessoas foram presas quando tentavam passar drogas para o interior da carceragem. Elas foram autuadas em flagrante, processadas e algumas condenadas rdquo;, alertou o delegado.

Casa do Eletricista – RETOMA

Celular
Nunes Pereira ainda informou que a pessoa que tem o celular no interior da cadeia ou o funcion aacute;rio que facilita a entrada do aparelho no local est aacute; cometendo um crime. ldquo;Acredito que esses celulares apreendidos na varredura estavam na cadeia h aacute; um bom tempo, pois antes, at eacute; mesmo devido agrave; falta espa ccedil;o, era dif iacute;cil uma busca minuciosa no local rdquo;, comentou. nbsp;

lt;galeria / gt;

TOPO