Policial

Cerca de 25 armas são furtadas do Fórum de Alto Paraná

Cerca de 25 armas de pequeno porte, como revólveres e pistolas, foram furtadas do cartório criminal do Fórum de Justiça de Alto Paraná, na madrugada desta quarta-feira (18). De acordo com a Polícia Militar (PM), duas pessoas participaram do arrombamento. O cartório foi o único espaço que os assaltantes entraram.

O delegado da Polícia Civil, Renato Lacroix Leal, afirma que os suspeitos só levaram as armas que não estavam guardadas no cofre do prédio. “O Fórum guardava armas de cano longo, como espingardas e escopetas, mas essas não foram levadas”, disse. Ainda conforme o delegado, policiais de Paranavaí e Maringá já estão na cidade para ajudar nas investigações.

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

O escrivão responsável pelo cartório criminal, Mauro Barbosa Soares, explica que há duas semanas o cartório catalogava as armas roubadas para serem destruídas pelo Exército. “Nós estávamos juntando todos os processos que envolviam a apreensão dessas armas, para que depois disso pudéssemos enviá-las para a destruição”, relata o escrivão.

Ainda segundo Soares, como a catalogação desse armamento era realizada de forma minuciosa e demorada, as armas estavam guardadas dentro do cartório. “O local onde fica o cofre é longe daqui e para não ficarmos andando com essas armas e chamarmos a atenção das pessoas, decidimos deixá-las reunidas na sala. O trabalho ficaria mais fácil e não colocaríamos ninguém em risco”, detalha.

A juíza e diretora do Fórum de Alto Paraná, Rita Prestes, acredita que a ação foi premeditada. “A impressão que dá é que o furto foi direcionado, pois eles não tentaram entrar no gabinete e também não roubaram processos. Somente as armas foram levadas”,  alega.

O prédio não possui alarme, sistema de monitoramento de câmeras e, durante a noite, nenhum  policial faz a segurança do local. Segundo Rita, há três meses grades foram colocadas nas portas e janelas do prédio. O arrombamento só foi descoberto no início desta manhã, quando uma das funcionárias chegou para trabalhar.

A PM trabalha com imagens das câmeras de segurança de empresas localizadas ao redor do fórum para tentar identificar os suspeitos. A juíza de Alto Paraná vai encaminhar ainda nesta quarta-feira um ofício para o Tribunal de Justiça solicitando reforço na segurança do prédio.

TOPO