Ecoville – Maior rede de limpeza
Política

Leomar Rohden assume focado no trabalho humanizado em Pato Bragado

Joni Lang/OP
Grupo político ocupa pela quarta gestão consecutiva o Poder Executivo do município. Educação e Saúde são as prioridades da gestão Mano/Dirceu

Vereador eleito para a 1ª legislatura (1993/1996), secretário municipal de vários prefeitos e vice-prefeito na gestão 2013/2016, Leomar Rohden (Mano) (PMDB) foi empossado na manhã de domingo (1º) no cargo de prefeito de Pato Bragado. Eleito com 2.131 sufrágios no pleito de 02 de outubro de 2016, Mano formou a dobradinha vitoriosa com o então vereador Dirceu Anderle (PP), atual vice-prefeito.

Casa do eletricista MINIESCAVADEIRA

A solenidade de posse dos eleitos e transmissão de cargos aconteceu no Centro Cultural, reunindo familiares, centenas de pessoas da comunidade e lideranças, assim como os ex-prefeitos Arnildo Rieger, Luiz Grando, Normilda Koehler, e os candidatos a prefeito e vice das outras duas coligações, respectivamente Delmar Fincke e Loici Rodrigues e Alberto Mareco e Márcia Coutinho.

Agora chefe do Poder Executivo, Mano recebeu as chaves do município das mãos de Arnildo Rieger (PP), de quem foi vice. Com isso, a dobradinha Mano/Anderle conduz os destinos do município na gestão 2017/2020. Em seu discurso de posse, o chefe do Poder Executivo reiterou os compromissos estabelecidos e se emocionou ao falar de sua trajetória de vida, por ter vindo de família pobre e assumir o posto mais importante da política bragadense.

A expectativa é positiva por ser um grande compromisso. Antes eu estava habituado a cuidar de uma secretaria, sendo que agora eu e o Dirceu temos o município como um todo para administrar. Existe preocupação, mas nós estamos preparados, estaremos bem assessorados para poder desenvolver um trabalho em conjunto com a Câmara de Vereadores, que são poderes independentes, entretanto, que devem ter harmonia para atuar a favor da população, contribuindo ao crescimento coletivo da nossa gente, declarou em entrevista ao Jornal O Presente.

 

Maioria na Câmara

Questionado se o fato da oposição ser maioria na Câmara tende a dificultar o andamento de projetos, Mano afirmou acreditar em um relacionamento equilibrado. Eu não tenho dúvida disso porque as pessoas que assumiram, aguardando é claro a decisão judicial (do Tribunal Regional Eleitoral), não vão tentar prejudicar. Acho que estarão junto da administração municipal, independente do período para que possamos olhar não o nome do Mano, mas o município como um todo, por isso eu tenho certeza de que a Câmara não vai se opor neste sentido, disse.

Bem estruturado

O ex-prefeito Rieger entregou o município com cerca de R$ 13,5 milhões de superávit financeiro, dos quais aproximadamente R$ 10 milhões em recursos livres. Assumimos o município com uma situação muito confortável. Temos um parque de máquinas bom, assim como boas estruturas na saúde, veículos, obras bem conduzidas, superávit financeiro, o que contribui para que nos quatro anos possamos planejar e realizar um grande trabalho, ressalta Mano.

De acordo com o prefeito empossado, o grande desafio de todos os municípios é a saúde, setor que deve exigir muita dedicação. Não apenas em se tratando de recursos financeiros, mas de um trabalho humanizado que deve ser realizado. Nós temos condições na microrregião de desenvolver um trabalho em conjunto com outros municípios. Não podemos esquecer das demais áreas da municipalidade, pois devemos investir na educação, e em todos os setores, além de necessitar investir no setor produtivo, indústria, comércio, prestação de serviços e no agronegócio, enfatiza.

Anunciados secretários de Assistência Social, Finanças e Saúde

Foram anunciados na manhã de ontem (02) os nomes dos três primeiros secretários municipais que passam a compor o primeiro escalão da gestão Mano e Dirceu. Os três integram as fileiras do PMDB e são funcionários efetivos do município. Djoni Aleander Rohden assume a Secretaria de Finanças, John Jeferson Weber Nodari está nomeado ao cargo de secretário de Saúde, enquanto Marli Kreuz Wollmann passa a responder pela Secretaria de Assistência Social.

Em entrevista ao Jornal O Presente, os recém-nomeados secretários agradeceram a confiança por parte do prefeito e vice e destacaram atuar frente às pastas para manter a qualidade dos serviços públicos, procurando avançar nos respectivos setores. Eles também mencionaram primar por manter a eficiência do atendimento social aos munícipes, pela continuidade da transparência, além de se comprometer com novos desafios e com o trabalho em conjunto com as suas equipes.

O vice-prefeito destaca que todas as decisões estão sendo tomadas em conjunto para que o trabalho possa fluir da melhor forma possível. Escolhemos profissionais com muito conhecimento para realizar um ótimo trabalho, diz Anderle.

De acordo com o prefeito, a definição dos nomes teve como critérios profissionais técnicos com experiência em administração pública. Todos eles são funcionários de carreira, com pique, boa vontade e são dedicados. Foi assim com o Djoni, com o John e a Marli. Sempre falamos em dar atenção especial aos cidadãos e é isto o que vamos fazer com a definição dos três primeiros nomes. As futuras nomeações de três a quatro secretarias devem acontecer ao longo desta semana, afirma Mano, que pela ordem deve tornar públicos os nomes dos responsáveis por Agricultura e Educação, entre outras pastas.

 

Eleito presidente da Câmara, Prigol prega relacionamento coerente

A primeira ação no domingo (1º) foi realizada pelo professor Flávio Prigol (DEM), vereador mais idoso, que comandou a posse dos eleitos à 7ª Legislatura da Câmara de Pato Bragado. Prestaram o compromisso e juramento os edis: Ademir Kochemborger (Xaropinho) (PT), Adilson Manhabosco (Balaio) (PMDB), Airton Schmidt (PDT), Arlete Schneider (PMDB), Claudecir Pilatti (PSD), Egídio Rodrigues (Juruna) (PSD), Flávio Prigol (DEM), Jair de Souza (PMDB) e Lucas Blatt (SD).

Na sequência Prigol foi eleito presidente do Legislativo para o anuênio 2017. Como vice-presidente foi eleito o vereador Airton Schmidt (PDT), enquanto Lucas Blatt (SD) foi conduzido à 1ª secretaria da Casa de Leis. A 2ª secretaria será ocupada por Arlete Schneider (PMDB). Os nove vereadores estiveram reunidos em sessão extraordinária ontem (02), ocasião em que elegeram os representantes das comissões permanentes.

O grupo de oposição tem maioria no Poder Legislativo, somando cinco vereadores diante de quatro da base de apoio ao governo Mano/Dirceu. Contudo, situacionistas acreditam na reversão de um processo judicial que tramita no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em Curitiba. Se a decisão de 1ª instância for alterada, a composição da Câmara passará de quatro para seis edis na base de apoio ao prefeito.

Enquanto o processo não é julgado, a oposição exerce a presidência, vice e 1ª secretaria. Perguntado se isto pode dificultar a administração Mano/Dirceu, o vereador-presidente Prigol destaca que procura adotar um relacionamento coerente entre os poderes Legislativo e Executivo. A oposição não está aqui para atrapalhar o trabalho do município. Queremos ser partícipes da administração, porque eu acredito que quando duas pessoas tomam decisões a facilidade de (cometer) erro é maior. Agora, se estivermos todos juntos pensando e trabalhando pelo município, o que também é função do Legislativo, eu tenho certeza de que não teremos problemas, declara.

Prigol ressalta que conduzirá suas funções como presidente e vereador pensando sempre em primeiro plano no cidadão bragadense. Tudo o que vier em benefício do povo nós vamos oferecer toda estrutura que o prefeito precisar, mas o que percebemos é que a Câmara de Vereadores quer participar de todas as decisões do município. Desta maneira nós vamos conduzir os trabalhos com muita harmonia no Poder Legislativo em consonância com o Poder Executivo, enfatiza.

Temos que começar a dar o exemplo pela base. Os governos estadual e federal não têm o cidadão tão próximo quanto nós, vereadores, assim como o prefeito e vice. Devemos fazer um trabalho sério, não pensando em nós, mas, pensando no povo, administrando os recursos públicos com muita clareza e seriedade, aí sim faremos um bom trabalho, finaliza.

TOPO