Ford/Abradif/Rodovel Ranger
Política

Trabalhos na Câmara rondonense iniciam com proposta de mudança

 

Maria Cristina Kunzler/OP

Com o plenário lotado e na presença do prefeito Marcio Rauber e do vice-prefeito Ilario Hofstaetter (Ila), Câmara de Vereadores iniciou ontem (06) o ano legislativo de 2017

 

Agora composta por 13 vereadores, a Câmara de Marechal Cândido Rondon iniciou ontem (06), sob a presidência de Pedro Rauber, o ano legislativo com a realização da primeira sessão ordinária de 2017. Os parlamentares já vinham atuando desde a posse, no dia 1º de janeiro, mas a sessão marca oficialmente a abertura dos trabalhos para o mandato 2017/2020.

Autoridades municipais estiveram na sede do Poder Legislativo para prestigiar o começo do ano legislativo, dentre elas o prefeito Marcio Rauber, vice-prefeito Ilario Hofstaetter (Ila), secretários municipais, dentre outros.

O chefe do Poder Executivo declinou do uso da tribuna para fazer seu pronunciamento aos edis. No entanto, uma mensagem assinada por ele foi lida durante a sessão, na qual o mandatário apresenta a situação contábil do município e as linhas mestras do plano de governo.

Estamos implantando uma gestão participativa, moderna, alicerçada nos fundamentos da democracia, da eficiência e da licitude. Em momento algum permitiremos que o novo governo municipal se configure em palanque político. O bom senso e a consciência cidadã nos orientam a não pisarmos nos palcos do passado, a olharmos para frente, a fitarmos o futuro com pálpebras que não tremem, a segurarmos com mãos firmes as ferramentas da retidão, do caráter e da ética, destaca o prefeito na mensagem e exposição de motivos.

Marcio Rauber prossegue informando que, em termos contábeis, assumiu a gestão rondonense com restos a pagar e consignações, ou seja, dívida flutuante, na ordem de R$ 12,3 milhões. Operações de crédito e parcelamentos, caracterizados como dívida fundada, estão na casa de R$ 8,7 milhões, menciona o documento. Descontados os saldos de banco e caixa, nos deparamos com um superávit financeiro, com recursos livres, caracterizados como fonte zero, na ordem de R$ 6.190.863,67, não obstante a informação de que o fechamento do mês 12/2016 ainda não foi enviado ao Tribunal de Contas, enaltece, alertando que a atual situação do percentual de gastos com pessoal está em 51,23%, o que deve ensejar um alerta do TCE. Cuja situação nos deixa preocupados, adianta o prefeito.

 

Plano de governo

Sobre as principais linhas de seu plano de governo, Marcio Rauber destaca na mensagem enviada ao Legislativo: realizar o controle de gastos com monitoramento permanente e um eficiente sistema de compras; modernizar equipamentos e máquinas; implantar um setor, com competente equipe técnica, para a elaboração de projetos e captação de recursos junto às esferas governamentais; implantar gradativamente a educação em tempo integral; otimizar a educação com valorização e formação permanente dos professores; modernizar a estrutura e os equipamentos escolares; revitalizar praças da sede e do interior, possibilitando o esporte e o lazer para todas as idades; apoiar e desenvolver ações culturais com a devida valorização; tornar o ambiente de investimentos mais favorável no município; fomentar o comércio, a indústria, a prestação de serviços e o turismo; implantar restaurantes populares em locais estratégicos; investir em projetos de reurbanização e organização do trânsito; criar uma comissão para fiscalização e recebimento de obras e serviços; implantar um grande programa de pavimentação de estradas rurais; apoiar a agropecuária; e, por fim, ampliar e equipar o Hospital Municipal Dr. Cruzatti visando um eficiente atendimento de emergência, ambulatorial e de internamento, com centro cirúrgico de baixa complexidade e maternidade.

 

Proposta de mudança

Vereadores fizeram uso da tribuna no primeiro encontro semanal de 2017. Contudo, um dos aspectos que mais chamou atenção ontem foi a proposta apresentada pela mesa diretora, composta, além do presidente do Legislativo, pelo vice-presidente Ronaldo Pohl e 1º secretário Nilson Hachmann, em que propõe a mudança no horário do início da sessão ordinária das 17 para as 18 horas. Em entrevista ao O Presente, Pedro Rauber revelou que se houver entendimento por parte da Comissão de Constituição e Justiça, presidida pelo vereador Claudio Kohler, para analisar com celeridade a iniciativa a alteração já poderia começar a valer na próxima segunda-feira (13).

Não podemos cercear o direito do cidadão que trabalha às 17 horas em não poder participar dos trabalhos da Câmara. Alguns argumentaram que a sociedade não participa igual, mas isso é problema de cada um. Entendo que a Câmara tem que criar as condições para a sociedade poder participar, o que é muito importante para o município e para que os rondonenses acompanhem não só os trabalhos do seu vereador, mas de todos. Inclusive o cidadão pode trazer informações que definitivamente venham a contribuir com o desenvolvimento de Marechal Cândido Rondon, justifica o presidente da Casa de Leis, o qual espera contar com o apoio de todos os edis. Eles sabem que a sociedade está aplaudindo esta medida, e nem poderia ser diferente. Tenho conversado com muitas pessoas que têm relatado que em razão da sessão iniciar às 17 horas não podem assisti-la, e quando têm poucas matérias em discussão em questão de uma hora os trabalhos encerram. Tenho certeza que os vereadores vão apoiar essa sugestão da mesa diretora, opina.

TOPO