Variedades São Mateus do Sul

Balão perdido por criança no Rio Grande do Sul “viaja” 600 km e é encontrado no Paraná: “Início de uma linda amizade”

'Balão viajante' foi encontrado em beira de rio (Foto: Divulgação/Arquivo pessoal)

Quando o pequeno Henrique, de 4 anos, soltou seu balão sem querer e viu ele ganhando o céu de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, mal sabia ele que, ali, se iniciava uma longa viagem – de 600 quilômetros, mais precisamente.

Perdido desde 31 de dezembro de 2021, o balão cheio de gás hélio desapareceu por dois dias e foi encontrado pelo paranaense Welington Leal em 2 de janeiro de 2022, no município de São Mateus do Sul, Sul do Paraná. O homem estava pescando em Fartura do Potinga, localidade da região rural.

Casa do Eletricista VERÃO 2022

A esposa de Welington, a empresária Giseli Cordeiro, contou que o balão estava “cheio e bonito”, preso à vegetação. Outros balões menores, furados, estavam juntos ao principal.

Nied 2022 – Padrão

A curiosidade do casal despertou com o nome impresso no brinquedo: Hique, apelido da criança que tinha perdido o balão dias atrás.

CombateMax – Normal

“O balão estava num campo, e as vacas que estavam perto, estavam assustadas com balão. Ele viu, achou bonito e resolveu trazer para a minha menina”.

Welington levou o achado para a filha, a Emily, de dois anos. O balão estava com uma etiqueta com o nome da loja em que foi comprado, nome da cliente e número de telefone.

Mãe paranaense disse que Emily "fez a festa com o balão" — Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Mãe paranaense disse que Emily “fez a festa com o balão” (Foto: Divulgação/Arquivo pessoal)

Em uma pesquisa rápida, Giseli e Welington viram que o endereço, de Porto Alegre, ficava a uma distância que, de carro, demoraria nove horas de viagem.

“Quando eu vi que o endereço era do Rio Grande, eu disse ‘não pode, o balão ter vindo de lá até aqui?’ Aí eu mandei mensagem”.

A psicóloga Paula Endres, mãe do Hique, disse que a história será lembrada pela família como mais um dos muitos causos diferentes que aconteceram com ela e o marido, o médico Walter Machado, em dias de virada de ano.

“Ainda não sei direito o motivo de tudo isso ter acontecido, mas sei que é o início de uma linda amizade. Os réveillons são cheios de histórias na nossa família. Foi quando eu e meu marido nos beijamos a primeira vez, depois ele também me pediu em casamento num ano novo, e nosso filho acabou nascendo dia 31 de dezembro. Então, a história do balão é mais uma história mágica sobre réveillons que teremos em nossas vidas”.

História de pescador às avessas

Pelo número na etiqueta, a mãe da Emily, que estava com o balão, contatou a Paula, mãe do Hique. Quando elas começaram a conversar, ficaram surpresas com a história. Paula, inicialmente, achou que o contato podia ser um golpe.

Desde o achado, mães conversam rotineiramente — Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Desde o achado, mães conversam rotineiramente (Foto: Divulgação/Arquivo pessoal)

E se o termo “história de pescador” é rotineiramente usado para indicar algum causo mirabolante, desta vez, a brincadeira do destino se opôs ao ditado popular.

Conforme as duas entendiam o que tinha acontecido, elas perceberam que, além do surpreendente “achado” do balão viajante, a história trazia uma coincidência que parece ter saído de roteiro de filme: Welington, que encontrou o balão, é dono de uma oficina mecânica.

O pequeno Hique, por sua vez, é um grande apaixonado por carros – o bolo de aniversário dele, inclusive, era temático e deixava claro o amor por automóveis.

Bolo do Hique, que completou quatro anos — Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Bolo do Hique, que completou quatro anos (Foto: Divulgação/Arquivo pessoal)

Quando o balão do Hique escapou, ainda em dezembro, Paula, mãe do pequeno, disse que falaria com os astronautas para recuperá-lo.

Ao contar isso para Giseli, a reação foi imediata: a família paranaense encomendou, à distância, um balão de astronauta na mesma loja em que o primeiro balão foi comprado, e mandou entregá-lo de surpresa para Hique. A criança recebeu o novo brinquedo nessa quarta-feira (12).

Hique e a família antes do balão ser perdido no dia 31 de dezembro — Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Hique e a família antes do balão ser perdido no dia 31 de dezembro (Foto: Divulgação/Arquivo pessoal)

O “presente dos astronautas” foi enviado com uma cartinha:

Olá Hique!
Tudo bem com você?
Ainda estamos à procura do seu balão, estamos ansiosos para encontrá-lo, mas por enquanto enviamos um outro balão para que você possa aproveitar muito. Esperamos que você goste.
E assim como o balão, voe alto e acredite em todos seus sonhos!!!
Abraço dos astronautas

Nova amizade

Giseli e Paula continuam conversando quase que diariamente.

As famílias, inclusive, marcaram de se encontrar no próximo domingo (16), em Porto Alegre. A pequena Emily, com o balão viajante, e os pais Welington e Giseli, partem para o Rio Grande do Sul na próxima sexta-feira (15).

“A gente acha que tudo tem um propósito, nada é por acaso. A gente ficou muito feliz dela [Paula] ter convidado a gente pra ir pra lá. Sempre quisemos conhecer o Rio Grande do Sul, mas não imaginamos que seria nesta circunstâncias”, disse Giseli.

 

Com G1

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

Grupo Costa Oeste 2021
TOPO