Geral Pesquisa

Endividamento se mantém estável no Paraná

Contas em atraso e capacidade de quitação melhoram em outubro (Foto: Divulgação)

O endividamento segue estável no Paraná pelo segundo mês consecutivo. De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), elaborada pela Confederação Nacional do Comércio de Be, Serviços e Turismo (CNC) e divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), 89,5% das famílias paranaenses estavam endividadas em outubro. Em setembro o índice ficou na casa de 89,4% e em agosto era de 89,1%.

As contas em atraso e a capacidade de quitação das dívidas tiveram melhora. A parcela de endividados com contas atrasadas caiu de 27,5% em setembro para 25,9% em outubro. Já a proporção de endividados que não terão condições de quitar suas dívidas baixou de 11,3% em setembro para 10,1% no mês passado.

Os resultados da PEIC de outubro sugerem que os consumidores estão procurando pagar as contas antes de fazer novas dívidas. A média nacional de endividamento também se manteve inalterada, permanecendo em 60,7% em outubro.

 Síntese dos resultados
Mês Paraná Nacional
Total de Endividados  Com contas em atraso Sem condições de pagar Total de Endividados  Com contas em atraso Sem condições de pagar
Outubro de 2017 87,5% 29,1% 10,40% 61,8% 26,0% 10,1%
Setembro de 2018 89,4% 27,5% 11,3% 60,7% 23,8% 9,9%
Outubro de 2018 89,5% 25,9% 10,1% 60,7% 23,5% 9,9%

 

Nível de endividamento 

Ainda que o Paraná tenha o maior percentual de endividados do país, os paranaenses não se sentem tão endividados assim. Os consumidores que se consideram muito endividados correspondem a 27,4%, enquanto a maioria (46,8%) considera estar moderadamente endividada.

As famílias com renda superior a dez salários mínimos mensais são as mais endividadas, com 93,6%, ante 88,7% entre aquelas com renda inferior. A percepção do nível de endividamento também é maior entre as classes A e B, com 32,7% declarando-se muito endividados. Nas classes C, D e E as famílias muito endividadas correspondem a 26,2%.

Nível de endividamento Outubro de 2017 Setembro de 2018 Outubro de 2018
Muito endividado 29,9% 26,7% 27,4%
Mais ou Menos endividado 44,2% 46,1% 46,8%
Pouco Endividado 13,4% 16,6% 15,4%
Não tem dívidas desse tipo 12,5% 10,6% 10,5%

 

Tempo de pagamento em atraso 

As famílias com contas em atraso correspondem a 25,9% dos endividados. E entre estes, 52,5% possuíam contas em atraso há mais de 90 dias, configurando inadimplência. A parcela de inadimplentes aumentou na comparação com outubro de 2017, quando o atraso superior a 90 dias atingia 46,3% das famílias com contas em atraso.

Em média, os paranaenses permanecem 6,6 meses comprometidos com dívidas. A maioria (46,1%) está endividada por até três meses. As dívidas por mais de um ano afetam 42,5% das famílias. Já as dívidas entre 6 meses e 1 ano somam 6,9%, e entre 3 e 6 meses, 4,3%.

 

Tipo de dívida                         

O cartão de crédito é o principal motivo das dívidas, tendo sido mencionado por 70,1% dos paranaenses no mês de outubro. Em seguida aparece o crédito imobiliário, com 10,8%. Com relação ao mercado de automóveis, que concentram 9,5% das dívidas, a maior facilidade de acesso ao crédito dos últimos meses impulsionou o setor, que está vendendo em média 30% a mais no estado. O financiamento de automóveis foi o terceiro maior motivo de endividamento quando o assunto é pagamento parcelado.

Tipo de dívida Total Até 10 salários mínimos (sm) Mais de salários mínimos (sm)
Cartão de crédito 70,1% 69,1% 75,0%
Cheque especial 1,0% 1,1% 0,6%
Cheque pré-datado 0,2% 0,3% 0,0%
Crédito consignado 2,3% 2,4% 1,9%
Crédito pessoal 2,9% 2,8% 3,1%
Carnês 2,6% 2,8% 1,9%
Financiamento de carro 9,5% 10,4% 5,6%
Financiamento de casa 10,8% 10,3% 13,1%
Outras dívidas 1,0% 1,2% 0,0%

 

Com assessoria 

TOPO