Copagril – Sou agro com orgulho
Municípios Sensação de insegurança

Revolta e tristeza tomam conta dos pecuaristas que tiveram gado furtado em Nova Santa Rosa; prejuízos passam de R$ 20 mil

(Foto: Sandro Mesquita/OP)
  • Furtos registrados no fim de semana no interior de Nova Santa Rosa deixaram moradores com sensação de insegurança (Foto: Sandro Mesquita/OP)

  • Produtor rural Roní Schirmer: “É complicado a gente sair de casa agora sabendo que ao voltar alguém pode ter roubado aquilo que trabalhamos para conseguir” (Foto: Sandro Mesquita/OP)

  • Empresário Nerci Jaime Kurz: “No momento o desânimo é grande, mas vamos ver se juntamos os cacos para termos força para levantar novamente” (Foto: Sandro Mesquita/OP)

  • Produtora rural Ivete Sommerfelt Dockhorn: “Estamos pensando em colocar mais luzes com sensores no pátio para inibir qualquer tentativa de roubo” (Foto: Sandro Mesquita/OP)

O furto de gado, crime relativamente comum em diversas regiões de Brasil, tira o sossego de produtores rurais e preocupa autoridades do setor de segurança pública.

A prática criminosa costuma acontecer de forma esporádica ao longo do ano, mas, geralmente, a incidência aumenta em meses que antecedem o fim de ano, em virtude das festas e confraternizações, típicas nesse período.

Casa do Eletricista – Black Friday

Ao que parece, os casos de roubo e/ou furto a gado em propriedades rurais da região começou mais cedo em 2021, e com o agravante do alto valor da proteína, especialmente a carne bovina.

Nied 2021 J1

No último fim de semana, a Polícia Civil de Marechal Cândido Rondon registrou duas situações de furto de novilhas na comarca rondonense.

CombateMax – Oferta Inauguração

Ambos os casos aconteceram no município de Nova Santa Rosa, onde seis cabeças de gado foram furtadas pelos ladrões.

Rui Sonho nov/dez

O primeiro furto aconteceu na noite da última sexta-feira (15) na propriedade de Roní Schirmer, morador da Linha 1° de Março.

O produtor contou ao O Presente que os ladrões aproveitaram a ausência dele e de sua esposa, que haviam ido à igreja, para cortar a cerca e roubar uma vaca da propriedade. “Provavelmente alguém viu que estávamos na igreja e entraram para levar a novilha”, sugere.

Segundo o agricultor, a família pretende evitar sair de casa e até mesmo as idas à igreja serão repensadas devido à sensação de insegurança que o fato causou. “Vai chegando mais perto o fim de ano e vai acontecer mais. Não dá nem para sair de casa mais, temos que ficar atentos”, ressalta.

 

Audácia

O furto ocorrido na propriedade do seu Roní chama a atenção pela audácia dos ladrões, que carnearam a novilha bem próximo ao sítio e deixaram para trás apenas os membros do animal espalhados pela lavoura. “Dá um remorso muito grande, mas não é isso que vai fazer desanimarmos”, salienta o nova-santa-rosense, triste e indignado com o ocorrido.

Ele pretende aumentar a segurança nas instalações da propriedade para tentar evitar novos crimes semelhantes. “Vou ter que investir em segurança na casa e no estábulo. Instalar portões e sensores para ver se pego esse malandro”, afirma.


Produtor rural Roní Schirmer: “É complicado a gente sair de casa agora sabendo que ao voltar alguém pode ter roubado aquilo que trabalhamos para conseguir” (Foto: Sandro Mesquita/OP)

 

Foco no gado

A segunda situação de furto aconteceu na propriedade de Nerci Jaime Kurz, na Linha 15 de Dezembro. No local existe um barracão, onde o empresário rural armazena produtos que usa na empresa, que inclusive já foi alvo de ladrões no início deste ano. Na ocasião, o imóvel foi arrombado e diversos itens foram subtraídos.

Dessa vez o foco dos criminosos era mesmo as novilhas que ficavam em uma estrebaria construída ao lado do barracão.

O empresário relata que saiu do local por volta das 18h30 e menos de uma hora depois uma vizinha da propriedade ligou para avisar que haviam novilhas soltas na lavoura. “Quando cheguei me deparei com a cerca cortada e vi que haviam levado as novilhas grandes”, menciona.

No total os ladrões levaram cinco cabeças de gado da propriedade e deixaram outras quatro, possivelmente porque não couberam no veículo usado para levar os animais.

 

Prejuízo, revolta e tristeza

Kurz estima que cada novilha pesava cerca de 170 quilos e o prejuízo, segundo ele, é de aproximadamente R$ 20 mil. “É um sentimento de revolta e tristeza, fora o estresse e desânimo que esse tipo de situação causa”, lamenta.

De acordo com o empresário, no momento do furto os elementos usaram máscaras para dificultar a identificação e mesmo com as imagens das câmeras de segurança do imóvel, devido à pouca luminosidade por conta do horário, não foi possível confirmar as placas dos veículos. “Pela estrutura que montaram e quantidade de carros e motos que aparecem nas imagens, havia bastante gente envolvida”, relata.

Os criminosos usaram um veículo próprio para transportar gado e, conforme o nova-santa-rosense, devem ter planejado o crime dias antes do ocorrido. “No momento que chegou a camionete com a boiadeira eles invadiram e rapidamente tiraram as novilhas. Isso mostra que havia muitas pessoas envolvidas”, sugere.

Apesar da diferença na maneira de levar os animais, o empresário acredita que o furto ocorrido em sua propriedade pode ter sido praticado pela mesma quadrilha que praticou o outro furto de gado na Linha 1° de Março. “Acho que tem alguma ligação, porque eles vieram da mesma direção”, salienta.

Kurz pretende acelerar a construção de um muro que já estava sendo edificado no entorno da propriedade para reforçar o quanto antes a segurança no local. “Vou fazer o muro mais alto, colocar cerca elétrica, câmeras melhores e um cachorro bravo para ver se evita esse tipo de coisa”, pontua.


Empresário Nerci Jaime Kurz: “No momento o desânimo é grande, mas vamos ver se juntamos os cacos para termos força para levantar novamente” (Foto: Sandro Mesquita/OP)

 

Sem movimentação estranha

A agricultora Ivete Sommerfelt Dockhorn, vizinha da propriedade citada acima, inclusive, foi quem avisou o vizinho sobre as novilhas soltas na lavoura, após o furto.

Segundo ela, no dia do furto ninguém percebeu nenhuma movimentação estranha nas proximidades. “A rua aqui é muito movimentada e não dá para saber quem está mal-intencionado ou não”, ressalta.

Ivete cria gado de leite em sua propriedade e, segundo ela, o recente caso de furto no vizinho serviu para alertar sobre os riscos que muitos proprietários rurais estão expostos. “Estamos mais atentos agora e quando notarmos qualquer coisa estranha, alguém levanta para olhar”, relata.


Produtora rural Ivete Sommerfelt Dockhorn: “Estamos pensando em colocar mais luzes com sensores no pátio para inibir qualquer tentativa de roubo” (Foto: Sandro Mesquita/OP)

 

Boletins de ocorrência

Os dois roubos de gado ocorridos no fim de semana em Nova Santa Rosa foram registrados na delegacia de Marechal Rondon.

Segundo o delegado da Polícia Civil, Rodrigo Baptista dos Santos, é pequena a incidência desse tipo de delito nos municípios da microrregião.

Com os dois últimos casos o número de crimes dessa natureza sobe para quatro este ano, enquanto que em todo o ano de 2020 foram confeccionados dois boletins de ocorrência na comarca rondonense.

De acordo com o delegado, devido à proximidade entre os dois locais onde aconteceram os crimes, é provável que tenham sido praticados pela mesma quadrilha. “Contudo, não é possível afirmar ainda, tendo em vista que o inquérito policial está em andamento para elucidar esses dois furtos”, menciona.

Santos diz que os ladrões costumam agir geralmente à noite para dificultar a identificação e, assim, obterem êxito na prática criminosa. “O mais comum é acontecer o abate ainda no local e levarem apenas as melhores partes do animal”, salienta.

O delegado destaca a importância do registro da ocorrência junto à delegacia para o devido acompanhamento das ações criminosas dessa natureza. “É fundamental a realização do boletim de ocorrência para conseguirmos mapear as regiões onde esse tipo de crime está ocorrendo, desenvolver as investigações e chegar aos autores”, conclui.


Delegado Rodrigo Baptista dos Santos: “Não é possível relacionar o aumento do número de casos às festas de fim de ano, pois é um crime que acontece esporadicamente em nossa região” (Foto: Raquel Ratajczyk/OP)


Furtos registrados no fim de semana no interior de Nova Santa Rosa deixaram moradores com sensação de insegurança (Foto: Sandro Mesquita/OP)

 

O Presente

Grupo Costa Oeste 2021

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO