Copagril
Poder Legislativo Pedido à Câmara

Conselho de Cultura rondonense propõe homenagem ao maestro Jacob Brescianini

Presidente da Câmara, Claudio Kohler, recebe solicitação de representantes da área cultural rondonense (Foto: Cristiano Viteck)

 

Após início da tramitação do projeto de lei do Poder Legislativo, que propõe que o Teatro Municipal de Marechal Cândido Rondon receba o nome do artista rondonense Hedio Strey, e que o espaço destinado à Escola de Artes homenageie o professor Elói Urnau, o Conselho Municipal de Políticas Culturais está sugerindo que o hall de entrada seja denominado de Jacob Brescianini, maestro e violinista falecido em 2013.

O pedido foi apresentado no início desta semana em reunião com o presidente da Câmara de Vereadores, Claudio Kohler (Claudinho). Na oportunidade, o Conselho esteve representado pela presidente Lucinei Klein, pelo vice-presidente Sérgio Alexandre Alfonso e pela conselheira Lurdes Confetti. A secretária municipal de Cultura, Márcia Veit, e a diretora da pasta Adriani Niederle também participaram e apoiam a proposta.

Casa do Eletricista CÂMERAS

A sugestão de homenagem a Jacob Brescianini surgiu após reunião dos conselheiros. Segundo eles, o músico teve atuação importante e reconhecida na área cultural pela população de Marechal Cândido Rondon. Inclusive, foi homenageado com título de Cidadão Honorário do Município pela Câmara de Vereadores, em 2010.

Conforme o presidente Claudinho, os vereadores deverão aceitar a sugestão feita pelo Conselho Municipal de Políticas Culturais e apresentar emenda ao projeto de lei que prevê as homenagens às personalidades de destaque das artes e da cultural local, após a inauguração do Teatro Municipal.

As obras de construção do espaço estão em andamento, sendo que a parte mais adiantada é a do auditório do Teatro, que terá espaço para receber público de aproximadamente 800 pessoas. As obras da área destinada à Escola de Artes e demais dependências de todo o complexo também estão sendo executadas.

Conforme a Secretaria Municipal de Cultura, até agora a obra recebeu investimentos de R$ 4.085.935,40. Para a sua conclusão, estima-se que sejam necessários mais R$ 4 milhões. Não há previsão para conclusão das obras do Teatro Municipal.

 

Jacob Brescianini

Natural da cidade de Brescia, na Itália, onde nasceu em 08 de junho de 1921, Jacob Brescianini tinha cinco anos de idade quando começou a tocar violino com sua mãe, que era professora de música e filha de maestro.

Em 1934, junto com seus pais imigrou para o Brasil, onde a família se estabeleceu em Caçador (SC).

Desde a sua juventude, ele apresentava-se tocando violino e trompete em grandes conjuntos musicais da época. Em 1947, ajudou a fundar a Sociedade Artística Zequinha de Abreu, a Banda Saza e, na sequência, o Conjunto Melódico Atlântida. O artista também compôs músicas, sendo uma delas gravada pela orquestra Irmãos Montanari.

Foi correspondente Consular da Itália onde apresentou um programa na Rádio Rural.

Criou o conjunto Pan Americano de Ritmos, apresentando-se no Paraguai, Argentina e Uruguai.

Ele mudou-se para Marechal Cândido Rondon em 1967. Neste período, deixou a música durante 20 anos.

Nesse intervalo, foi um dos fundadores da Acimacar e escreveu peças teatrais que eram apresentadas no Clube Aliança.

No seu retorno à música, foi maestro e fundador da Banda Municipal de Quatro Pontes e, a partir de 1989, dedicou-se à sua escola “Academia de Música Sol Nascente”.

Na década de 1990, foi contratado para atuar no Centro Cultural Eloi Urnau como professor de música. Em 2003 gravou seu primeiro CD, sendo que o segundo foi lançado em 2005 e o terceiro em 2007. O músico rondonense foi convidado para inúmeras apresentações em diversas cidades do Paraná e em outros Estados. Hoje, Jacob Brescianini está com 89 anos.

Ele faleceu em 07 de abril de 2013, de câncer, aos 91 anos. Ele foi sepultado em Curitiba (PR), cidade onde estava residindo.

 

Violinista e maestro Jacob Brescianini faleceu em 2013 (Foto: Divulgação)

 

Com assessoria

TOPO